quarta-feira, 1 de julho de 2015

Jihad islâmica até em escolinha italiana?

A polícia italiana está sendo convocada com crescente frequência para intervir nos atritos religiosos provocados por imigrantes islâmicos.
A polícia italiana está sendo convocada com crescente frequência
para intervir nos atritos religiosos provocados por imigrantes islâmicos.



Em 14 de maio, na cidade de Terni, um menino muçulmano de 12 anos de idade socou repetidamente no peito uma colega de aula porque ela levava um crucifixo no pescoço.

A menina teve que ser hospitalizada com hematomas no tórax, guardar 20 dias de repouso médico, e não quer voltar à escola por medo de seu agressor, noticiou Infocatólica.

O provocador, chegado há apenas um mês do Senegal, parecia estar executando já a intifada (revolta), ou sua jihad (guerra santa). Ele é inimputável por causa da idade, mas sua conduta reflete o ambiente que reina nos centros de acolhida imprudentemente instalados por organizações católicas em toda Itália.

Poucas semanas atrás, 15 muçulmanos do Senegal e da Costa do Marfim foram presos em Palermo pelo assassinato de quinze cristãos com os quais emigravam rumo à Europa numa barca inflável que saiu da Líbia. As vítimas foram mortas por rezarem orações cristãs durante uma tempestade em alta mar.

Poucos dias antes, uma procissão de Primeira Comunhão na região de Emilia Romagna foi interrompida por imigrantes muçulmanos que argüiam de má fé, segundo as autoridades, que o ato católico ofendia suas crenças islâmicas.

A presidente da organização Irmãos de Itália, Giorgia Meloni, exprimiu sua preocupação. “Na nossa própria casa os nossos filhos não se sentem seguros diante da intolerância daqueles que vêm para Itália para nos impor sua própria ideologia”, declarou.

Diante da ousadia islamita, o jornalista Andrea Zambrano escreveu no Il Giornale de Milão que os católicos “não podemos nos contentar com uma simples reprimenda com a mera esperança de que lhes sirva de lição”.

"Tira o crucifixo do pescoço" exigiu o senegalês que bateu na menina de 12 anos.
O bispo de Terni, D. Giuseppe Piemontese, ficou numa difícil alternativa, pois ele promove a vinda desses agressivos imigrantes alegando ideais vagos de misericórdia, de ecumenismo e de luta pelos pobres do Islã. Mas, por outro lado, seus fiéis estão espantados com as assustadoras consequências dessas afirmações desconectadas da realidade.

O prelado procurou um meio termo dizendo ter-se tratado de “um gesto certamente grave que poderia ser estigmatizado, mas que não deve ser superdimensionado nem minimizado”. Os fiéis até agora desejam ver o que de concreto vai resultar desse pronunciamento.

A Itália tem 60 milhões de habitantes. Mas os imigrantes islamitas elevaram a dois milhões o número dos que professam o Islã e põem em prática o Corão, que prega a guerra santa contra os católicos.

Centenas de islâmicos desembarcam quase todo dia nas praias do sul do país em barcas vindos de diversos países da África.

Porém, seguindo instruções superiores, as paróquias católicas do país se transformaram em centros de acolhida desses milhares de refugiados. Muitos desses centros viraram focos de agressão contra os paroquianos e habitantes das cidades que até há pouco viviam tranquilamente.


quarta-feira, 24 de junho de 2015

Toda a verdade sobre o protestantismo evangélico


O Pe Leonel Franca nasceu em 7-1-1893, em São Gabriel, RS.

Ingressou na Companhia de Jesus em 12-11-1908.

Em 1912 foi estudar filosofia na Universidade Gregoriana, Roma, onde recebeu o título de Doutor em Teologia (1924).

Durante sua estadia na Cidade Eterna publicou “A Igreja, a Reforma e a Civilização” (1923).

Em 1928, fundou a Universidade Católica de Rio de Janeiro, da qual foi Reitor magnífico durante oito anos.

Rendeu sua alma a Deus em 3-9-1948.



Pe. Leonel Franca S.J.: “A Igreja, a Reforma e a Civilização”, Livro III, Capítulo III, 1. Igreja, Reforma e Moral:


A moral escrava dos apetites contraditórios


“O protestantismo foi o último galho lascado da árvore católica. Seus restos cobrem ainda larga parte da Europa setentrional.

“Aos olhos de observadores superficiais apresenta ainda o viço de uma verdura luxuriante. Mas são apenas folhas. Flores e frutos já os não produz.

“A mesma infecundidade moral que esterilizou as outras revoltas religiosas feriu também a do monge saxônio.

“Procurai os santos do protestantismo em quatro séculos de existência, inquiri do heroísmo dos seus filhos, investigai-lhes os milagres que são sigilo da divindade; não encontrareis, sob estes títulos, senão páginas em branco.

“Homens honestos, virtudes cristãs que não transcendem os limites da mediocridade, é o mais que nos podem oferecer os seus anais.

“A graça, nos segredos insondáveis da sua ação sobrenatural, pode ainda fecundar a boa fé e a intenção reta dos extraviados.

“Mas o segredo do heroísmo cristão, esse perdeu-se para as almas de escol, enquanto as grandes massas, destruídas as barreiras preservadoras, se precipitaram, sob a impetuosidade torrencial das paixões, nos grandes excessos, que cedo ou tarde acarretam a completa, dissolução da vida moral e religiosa.

“É esta decadência do protestantismo que ora nos cumpre esboçar. Distinguiremos no nosso estudo duas questões: a questão de direito e a questão de fato.

Martinho Lutero (1483 — 1546). History of the World, 1902.
“Analisando abstratamente os princípios, provaremos primeiro a incapacidade profunda e insanável em que se acha o protestantismo de promover a grandeza moral dos que o abraçaram e confirmaremos, em seguida, com o exame dos fatos, a verdade das nossas conclusões teóricas.

“Na ordem natural e na ordem sobrenatural a Reforma protestante golpeou de morte os órgãos vitais da moralidade humana e da moralidade cristã.

“Na ordem natural, são dois os elementos fundamentais da grandeza de caráter: princípios sólidos e imutáveis a iluminar as alturas da inteligência, força e constância de querer a fortificar as energias da liberdade.

“Sem a firmeza das verdades eternas que lhe fixam o ideal na corrente movediça das coisas que passam, o homem vive, ou, melhor, flutua à mercê dos acontecimentos.

“Cada capricho que lhe cruza pelo espírito, inspira-lhe uma resolução passageira, cada paixão, que lhe estua na alma, imprime uma orientação efêmera à sua atividade.

“No conflito dos apetites contraditórios nenhuma ordem, nenhuma unidade, nenhuma harmonia de tendências, nenhuma subordinação hierárquica de faculdades. é nesta hesitação vacilante acerca dos grandes princípios moderadores da atividade humana que devemos procurar a causa primeira da crise de caracteres de que adoece a nossa civilização.

“Jouffroy: “Personne n'a du caractère dans ce temps et par une bonne raison, c'est que des deux éléments dont le caractère se compose, une volonté ferme et des principes arrêtés, le second manque et rend inutile le premier”.

Foi o protestantismo o primeiro a abalar nas almas a estabilidade das convicções. Perguntai ao protestante qual o princípio regulador da sua atividade moral.

– A Bíblia, responderá, a Bíblia, única regra dos costumes como norma única de fé.

– Mas a Bíblia quem a interpreta? A razão individual. Se vos apraz, podereis ver no livro divino, com Lutero, a condenação da virgindade, a justificação da poligamia, a inutilidade das boas obras. A razão, pois, a razão subjetiva e mutável ao sabor das paixões, eis, em última análise, a regra de nosso operar.

“As massas, desvinculadas assim da submissão a uma autoridade superior e incapazes de deduzir pessoalmente do livro inspirado um código de moral, deixar-se-ão levar pela torrente avassaladora dos apetites desregrados.

“Os cultos, os intelectuais, vagando à mercê das variações da crítica racionalista, erigirão os próprios preconceitos em mandamentos étnicos, construirão uma moral “independente” e oscilante sobre a areia movediça dos sistemas filosóficos.

Lutero, ex-frade agostiniano, tocando alaúde
junto a sua mulher Catarina, ex-freira, e filhos
“Para o jovem inebriado com os primeiros fumos da ciência, as regras aprendidas e praticadas na infância já não apresentam a solidez racional capaz de resistir aos embates críticos dos moderníssimos mestres do pensamento.

“O homem maduro achar levianas e superficiais as conclusões assentadas nos fervores entusiastas da juventude. Ao velho experimentado e desiludido afigurar-se-ão inconsistentes e eivadas de orgulho as construções morais de sua virilidade.

“Destarte, de povo para povo, de época para época, de indivíduo para indivíduo, de idade para idade, os princípios morais variarão com a índole, com os caprichos da moda intelectual, com as paixões que agitam e diversificam as massas humanas no espaço e no tempo.

“O protestantismo em quatro séculos de existência, como não logrou assentar uma confissão de fé que reunisse o sufrágio universal das inteligências, assim não conseguiu estabelecer um código de moral que se impusesse à submissão de todas as vontades.

“A sua moralidade furta-côr, o seu preceituário de mil fórmulas cambiantes, os seus mandamentos entregues à versatilidade interesseira do egoísmo, arvorado em norma suprema de ação, comprometeram irremediavelmente no domínio intelectual a eficácia regeneradora dos grandes e imutáveis princípios do cristianismo”.
Citação: ”L'homme est toujours disposé à échapper à la morale, et il y échape quand cette morale n'est pas liée à une doctrine invariable”, De Broglie, Problèmes et conclusions de l'histoire des religions, Paris, 1886, pp. 115-116.

continua no próximo post : Golpe contra a vontade

Fonte : Pe Leonel Franca S.J., “A Igreja, a Reforma e a Civilização”, in Obras completas do Pe Leonel Franca S.J., vol. II, 7ª ed., Livraria Agir Editora, Rio de Janeiro, 1958. (págs. 375-405)

O livro “A Igreja, a Reforma e a Civilização” do Pe. Leonel Franca S.J.


TAMBÉM PODE SER VISUALIZADO DIRETAMENTE EMBAIXO:


segunda-feira, 22 de junho de 2015

Radicalismo verde na encíclica Laudato Si gera aflição
Declaração de Voice of the Family

Lançamento da encíclica Laudato Si', Vaticano, 18 de junho de 2015
Lançamento da encíclica Laudato Si', Vaticano, 18 de junho de 2015



ROMA, 18 de junho de 2015 – A coalizão internacional Voice of the Family está profundamente preocupada pela ausência, na encíclica Laudato Si, de qualquer reafirmação do ensinamento da Igreja contra a concepção e pela procriação como fim primeiro do ato sexual.

A encíclica publicada nesta manhã afirma oportunamente que “a defesa da natureza não é compatível .... com a justificação do aborto” (no 120) e “que o crescimento demográfico é plenamente compatível com um desenvolvimento integral e solidário” (no 50).

Contudo, a omissão de qualquer referência ao ensinamento da Igreja sobre a contracepção deixa os católicos despreparados para resistir ao programa internacional de controle da população.

“Deus ordenou ao homem: ‘Sede fecundos e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a’ (Gn 1, 28)”, declarou Maria Madise, porta-voz de Voice of Family, “mas o movimento ecológico vê o crescimento da população como uma ameaça”.

“Os países em desenvolvimento se desmoronam com os anticonceptivos e estão submetidos a fortes pressões para legalizar o aborto.

“Dado que a contracepção e a ecologia caminham com tanta frequência de mãos dadas, preocupa profundamente que o ensinamento da Igreja sobre a primazia da procriação não seja reafirmado”, deplorou.

Patrick Buckley, lobista da Sociedade de Proteção aos Nascituros (SPUC) na ONU, notou que:

“a encíclica convida, nos parágrafos 173-175, a reforçar a ação internacional em matéria de ambiente, mas esquece ao mesmo tempo de preparar os católicos para as consequências evidentes dessa ação: um recrudescimento das tentativas de impor ainda mais a contracepção e o aborto aos países em desenvolvimento”.

Hans Schellnhuber veicula ideias de reduzir a humanidade até em 80%
O Prof. Hans Schellnhuber foi uma das pessoas escolhidas pela Santa Sé para apresentar a encíclica à imprensa nesta manhã.

Schellnhuber é conhecido por ter veiculado que a “‘capacidade de acolhimento’ do planeta” situa-se “abaixo de um bilhão de pessoas”. A população mundial deveria portanto ser reduzida em mais de 80% para alcançar esse objetivo.

John-Henry Westen, cofundador de Voice of the Family e redator-chefe de LifeSiteNews, comentou:

“O professor Schellnhuber é um ativista favorável à criação de um governo mundial dotado de poderes para impor medidas necessárias para resolver a crise do meio ambiente, a qual, segundo ele, exige uma diminuição da população.

“Neste contexto, as referências na encíclica à necessidade de uma ‘verdadeira autoridade política mundial’ com o poder de ‘sancionar’ são profundamente preocupantes.”

Ontem foi anunciado que o professor Schellnhuber acabava de ser nomeado membro da Academia Pontifícia de Ciências pelo Papa Francisco.

Em novembro próximo, a Academia Pontifícia de Ciências acolherá um colóquio para discutir sobre a utilização das crianças como “agentes da mudança”.

Ele prevê, na ordem do dia, refletir sobre as estratégias possíveis para convidar as crianças a se tornarem emissárias do programa ecológico mundial.

Tais ações parecem estar aprovadas pela encíclica nos parágrafos 209-215. Alguns dos implicados nos ateliês do colóquio, como Jeffrey Sachs, estão entre os mais veementes promotores da contracepção e do aborto como meios indispensáveis ao controle da natalidade.

John Smeaton: “Os pais católicos devem resistir a todos os ataques contra as nossas crianças, mesmo quando eles vêm do interior do Vaticano.”
John Smeaton: “Os pais católicos
devem resistir a todos os ataques
contra as nossas crianças, mesmo
quando eles vêm do interior do Vaticano.”
John Smeaton, cofundador de Voice of the Family e diretor do SPUC, declarou:

“O movimento ecológico internacional procura com frequência convencer as crianças de que o mundo está superpovoado e que isso deve ser resolvido pelo controle da natalidade por meio da contracepção e do aborto.

“Há hoje um grave perigo de nossas crianças serem expostas a esse programa, sob a roupagem de sensibilização para as questões ecológicas.

“Os projetos da Academia Pontifícia de Ciências e a ausência na encíclica de um ensinamento claro sobre esses perigos nos deixam em alerta.

“Os pais católicos devem resistir a todos os ataques contra as nossas crianças, mesmo quando eles vêm do interior do Vaticano.”

Quem é Voice of the Family?

Voice of the Family é uma coalizão internacional de organizações pela-vida e pela-família, animadas por leigos engajados, tendo como fim oferecer sua experiência e seus recursos aos responsáveis pela Igreja, à mídia, aos organismos com fim não lucrativo e aos governos, antes, durante a depois do Sínodo dos bispos católicos sobre a família.

Voice of the Family pode ser contatada por e-mail no endereço enquiry@voiceofthefamily.info ou por telefone em +44 (0)20 7820 3148 (linha fixa no Reino Unido).

Voice of the Family reúne 24 organizações nos cinco continentes.


quarta-feira, 17 de junho de 2015

Europa, pepineira de soldados da guerra santa do islã !

Três jihadistas franceses conclamam os muçulmanos na França para irem lutar na Síria,
em vídeo de propaganda do Estado Islâmico.



O jornal parisiense Le Figaro calculou que cerca de 1.600 franceses estão engajados nas fileiras da guerra santa islâmica e que mais de 100 deles já foram mortos.

Os mais recentes casos seriam dois adolescentes de 12 e 14 anos, que partiram para o Oriente há dois anos junto com a mãe, originária da região de Toulouse.

A jihad (guerra santa islâmica) em princípio é uma guerra divinamente enlouquecida e sem retorno. Os 100 islamitas que partiram da Franca e perderam a vida na Síria ou no Iraque foram recenseados pelos serviços antiterroristas gauleses.

A taxa de mortalidade dos jihadistas franceses é especialmente alta, talvez pelo fanatismo exibido, como também é alto o número de voluntários de Alá partidos do território francês que estão combatendo: 450 ainda estão lá e 260 teriam voltado para recrutar novos guerreiros.

Mais dois irmãos maiores de idade, originários de Trappes, departamento de Yvelines, na periferia de Paris, perderam recentemente a vida em combate.


Também foi identificado um jovem de Lunel, cidadezinha da região de Hérault, de onde partiram entre 10 e 20 jovens de 18 a 30 anos para a guerra assassina, sete dos quais já tombaram.

O mais recente falecido foi um dos autores de um atentado suicida triplo no posto de fronteira de Touraibil, entre o Iraque e a Jordânia.

O retorno dos combatentes do Corão é uma das maiores fontes de risco de atentados em território francês, dizem as autoridades. Entre os mais recentes projetos criminosos desfeitos pela polícia, quatro foram montados por militantes da jihad.

John, verdugo britânico do jornalista James Foley
John, verdugo britânico do jornalista James Foley
Vários parentes dos autores dos atentados de Paris que fizeram 17 vítimas mortais haviam partido para a guerra santa, e os próprios assassinos não ocultavam sua simpatia pelo Estado Islâmico.

A polícia também teme que o jovem Sid Ahmed Ghlam, preso quando se preparava para atacar pelo menos uma igreja na periferia parisiense, tenha sido teleguiado por um jihadista francês ativo na Síria.

Sid Ahmed Ghlam está indiciando pelo assassinato de uma mulher de 32 anos, perpetrado no percurso ao lugar do atentado. Na Franca estão abertos cerca de 125 processos antiterroristas ligados à Síria, e dos 166 suspeitos interrogados, 113 ficaram em detenção.

Os franceses seriam culpados por atrocidades cometidas na Síria e no Iraque. Os investigadores estão certos de que Sabri Essid, o homicida de Toulouse e Montauban, é o jihadista que aparece num vídeo do Estado Islâmico tendo a seu lado um sobrinho ainda criança que executa um homem com uma bala na testa e depois descarrega o pente sobre o cadáver.

Num outro vídeo do Estado Islâmico, os pesquisadores acreditam ter identificado dois convertidos franceses que degolam soldados sírios.

Um jovem estudante de Nice apresentou-se no vídeo da degola achando que por ser menor não seria imputado. Mas foi preso ao chegar à França.

O ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve, atualizou o número de franceses envolvidos em grupos jihadistas elevando-o a 1.683, o que representa um aumento de 203% com relação a janeiro de 2014, informou a Veja.

Entre os 457 combatentes ativos fora da França há 137 mulheres e 80 menores, acrescentou o ministro. Cazeneuve acha que 213 já voltaram à França e 105 morreram nos combates, sendo oito deles em operações suicidas.

Alguns deputados falam em ampliar as medidas de segurança, mas as leis se revelam insuficientes para secar os mananciais de terroristas que a França produz.

Por sua vez, a polícia britânica acredita que mais de 700 cidadãos das ilhas viajaram para a Síria e que mais da metade já voltou para casa, onde agora representam uma ameaça terrorista significativa, informou a agência Reuters.

Combatentes britânicos da "guerra santa islâmica".
Combatentes britânicos da "guerra santa islâmica".
Mark Rowley, principal autoridade no combate ao terrorismo do país, mencionou a prisão recorde, neste ano, de 338 pessoas relacionadas com delitos de terrorismo, um aumento de um terço em relação a 2013.

Das pessoas presas no ano passado, 11% eram mulheres e 17% tinham menos de 20 anos.

“[O Estado Islâmico] e outros grupos terroristas estão tentando direcionar ataques na Grã-Bretanha, incentivando cidadãos britânicos a viajarem para a Síria a fim de lutar e treinar, e estão procurando, através de sua propaganda, provocar indivíduos na Grã-Bretanha a realizar ataques violentos aqui”, afirmou Rowley.

Em agosto passado, as autoridades britânicas aumentaram o alerta de terrorismo para seu segundo nível mais alto, o que significa que um ataque é altamente provável. Os agentes de segurança alertaram repetidamente sobre o perigo dos veteranos de batalhas na Síria que voltam para casa.

E ainda há quem fale mal das Cruzadas.



quarta-feira, 3 de junho de 2015

Itália: muçulmanos acossam
e insultam procissão de Nossa Senhora

Procissão na província de Ravenna
Procissão na província de Ravenna



Na pequena cidade italiana de Conselice, província de Ravenna, os fiéis faziam no mês de maio, consagrado a Nossa Senhora, sua tradicional procissão com a Madonna.

As crianças estavam vestidas para a Primeira Comunhão, cantavam hinos ou rezavam o terço, noticiou a agência Breitbart.

É uma arraigada tradição que reúne todos os anos o povo na Piazza Foresti, passando por várias ruas até chegar à Via Dante Alighieri. Mas nessa rua há o Centro Cultural Islâmico Attadamun, que acolhe imigrantes muçulmanos.

A procissão foi interrompida por gritos e provocações. Um grupo de jovens maometanos do Centro Islâmico começou a berrar e fazer ameaças. As crianças não sabiam o que fazer e pararam.

Os islâmicos gritavam às crianças: “Fora daqui. Fora!, fora!, vão embora!” A procissão continuou seu percurso, mas um ar enrarecido tomou conta da cidade.

Após ouvir as queixas dos fiéis, Paola Pula, prefeita de Conselice, exigiu explicações do líder do Centro Cultural Islâmico. Como é de praxe, o líder islâmico se desfez em pedidos de desculpa.

A prefeita disse que “o incidente, embora protagonizado por menores de idade, é intolerável e não pode ser subestimado”. E acrescentou que os jovens que participaram da agressão foram repreendidos pelos líderes do Centro.

As provocações vão crescer, com ou sem pretexto. Um clima de desconfiança recíproco se instalou na cidade. A calma cristã desapareceu. E, pelo menos nesse ponto, o Islã progrediu.


quarta-feira, 27 de maio de 2015

“Olho seco”: mal que atinge até as crianças
diante dos monitores de vídeo

Nos consultórios, os casos de crianças com "olho seco" passaram a ser habituais.
Nos consultórios, os casos de crianças com "olho seco" passaram a ser habituais.



Segundo oftalmologistas consultados pelo jornal Clarín, de Buenos Aires, o mal do “olho seco” ou “síndrome visual informática” atingiu as crianças e os adolescentes que usam constantemente celulares, tablets e computadores.

“Há 20 anos, víamos no consultório algum caso de forma esporádica; hoje é habitual”, afirmaram os oftalmologistas.

A síndrome do “olho seco” aparece quando existe escassez ou falta de lágrimas no olho, causada por exposição constante a monitores de celulares, computadores, tablets e outros eletrônicos com a mesma tecnologia.

Há poucas décadas essa síndrome se manifestava apenas em pessoas com 40 anos ou mais, mas hoje é observada em pacientes com a metade dessa idade. Crianças e adolescentes tampouco fogem à sintomatologia.

“Vive-se conectado” no trabalho e no lazer e esse uso frequente não é gratuito: o olho paga o pedágio.

O “olho seco” ocasiona incômodos como ardor, olhos vermelhos, fadiga e dor de cabeça, mas a diminuição das lágrimas deixa o olho desprotegido, exposto a vírus e bactérias que podem causar irritações, alergias e conjuntivites.

Crianças e adultos consultam mais os oftalmologistas por causa do uso dos monitores
Crianças e adultos consultam mais os oftalmologistas
por causa do uso dos monitores
Muitas vezes é agravado pela inadequada iluminação do local de trabalho, a falta de ventilação ou excesso de ar condicionado.

Nos adultos, o “olho seco” faz parte da deterioração natural das funções do corpo, sobretudo após os 65 anos. Nas mulheres, que são as mais prejudicadas, está relacionado com a gravidez, os anticonceptivos orais e, principalmente, o climatério.

“Crianças e adultos consultam mais os oftalmologistas por causa da fadiga produzida pelo uso dos monitores”, respondeu a Dra. Maria Angélica Moussalli, do Serviço de Oftalmologia do Hospital Italiano, um dos maiores da Argentina.

“Fixar a vista no monitor durante horas a fio gera vários sinais e moléstias, inclusive pequenos astigmatismos ou miopias leves, ou agrava outras patologias oculares existentes.”

A Dra. Moussalli recomenda lágrimas artificiais para lubrificar o olho e, sobretudo, uma mudança de hábitos: pestanejar frequentemente, respirar, relaxar e alongar.


quarta-feira, 20 de maio de 2015

Muçulmanos massacram cristãos
antes de pisarem em solo europeu

O movimento migratório muçulmano para a Europa está se tornando veículo de invasão religiosa anticristã.
O movimento migratório muçulmano para a Europa
está se tornando veículo de invasão religiosa anticristã.



105 passageiros, cristãos e muçulmanos, compartilhavam à noite um destino incerto no Mediterrâneo, quando o barco inflável começou a desinflar.

Os muçulmanos não demoraram em executar aquilo que pareciam determinados a fazer após porem o pé em terra e se instalarem com a ajuda de associações de caridade cristã.

Atacaram os cristãos, acusando-os de invocar um outro Deus que não o do Corão.

“Após as ameaças religiosas, uma dezena de muçulmanos passou à agressão e começou a jogar alguns de nós no mar”, contou o sobrevivente Yeboah à polícia italiana, citado pelo jornal de Paris Libération.

Os que caíam na água desapareciam na noite e morriam afogados. Para os muçulmanos, que nada identifica como sendo particularmente fanáticos, o ecumenismo é algo sem sentido e um sinal da superioridade da seita de Maomé.

Seis testemunhas dos fatos concordaram na descrição de uma verdadeira guerra de religião contra cristãos indefesos em pleno mar, impulsionada por maometanos à primeira vista normais.

Doze imigrantes cristãos teriam morrido afogados e mais outros três faleceram em consequência da violência dos golpes dados pelos adeptos do Corão.

Os outros cristãos a bordo só se salvaram porque formaram uma corrente humana que se apertava com força pelos braços.

“Nós, cristãos, fomos salvos pela chegada de um navio [da marinha de guerra italiana] que nos recolheu”, disse Augustin diante dos magistrados de Palermo, Itália, para onde foram levados.

“Após uma jornada de navegação, alguns muçulmanos começaram a nos atacar unicamente porque nós, cristãos nigerianos e ganeses, somos de uma outra religião, e começaram a ameaçar de nos jogar ao mar. Depois, vários deles passaram à ação”, explicou Francis, um jovem ganês.

Outras testemunhas mencionam as orações de um jovem cristão que chorava e suplicava a Jesus em alta voz, suscitando o furor dos islamitas.

A polícia italiana prendeu 15 supostos assassinos que aportaram em Palermo, e apontou a ira anticristã como a causa da agressão: “Foi a profissão de fé cristã feita pelas vítimas”.

A ocorrência se deu numa barca inflável como a da foto
A ocorrência se deu numa barca inflável como a da foto
Segundo Cristian Nani, diretor da associação Porte Aperte, que defende os cristãos perseguidos no mundo:

“não é raro que nas viagens para chegar às costas líbias, os cristãos sofram vexames e sejam extorquidos ou feridos pelos muçulmanos, que os qualificam com desprezo de ‘nazarenos’. Também, após chegarem à Itália, os cristãos podem ser discriminados por grupos de imigrantes muçulmanos, por exemplo quando se trata de partilhar as rações de alimentação”.

Cristian sublinhou que o inquérito da magistratura de Palermo se baseia em “diversos testemunhos, coerentes e concordantes”. A polícia não exclui a possibilidade de identificar e prender mais responsáveis.

O movimento migratório muçulmano para a Europa está se tornando, cada vez mais claramente, um instrumento de invasão religiosa para a extinção do Cristianismo e a vitória do Islã sobre as ruínas da Igreja Católica.




quarta-feira, 13 de maio de 2015

Jogos de vídeo iniciam na “arte do morticínio”

Bloodborne ensina que matar sadicamente é uma diversão.
Bloodborne ensina que matar sadicamente é uma diversão.



Quatro letras de sangue pingam do monitor e dizem “mort” [morte em francês], no jogo macabro Bloodborne, descreveu Le Monde de Paris.

Os personagens virtuais têm forma de espectros e seu ambiente próprio são os cemitérios. Para o jornal parisiense, Bloodborne consagra a nova tendência nos videojogos voltados para a morte.

Bloodborne foi precedido por Almas da Escuridão (Dark Souls) e Almas de Demônio (Demon's Souls), embebidos de fantasias macabras ou satanistas que incitam o jogador a morrer centenas de vezes.

A morte já não é causa de luto ou tristeza, mas de diversão, diz Mathieu Triclot, autor do livro Filosofia do videojogo.

As montagens visuais devem ser as mais semelhantes com a realidade e as mais sanguinárias possíveis.

O jogador perde o medo dos piores crimes e as empresas criadoras desses entretenimentos estimulam a matar para tirar lucro.

Bloodborne encaminha para o satanismo.
Bloodborne encaminha para o satanismo.
A lição para o jovem jogador é clara: assassinar sadicamente é uma opção de jogo, o homicídio nada tem de injusto ou arbitrário: é uma estratégia para se divertir e fazer novas experiências, por mais cruéis que elas sejam.

Em 1996, o jogo Diablo II introduziu o conceito de “permadeath”, ou morte permanente. Essa perversa ideia está hoje generalizada.

Por vezes, a morte é inevitável para o próprio personagem que encarna o jogador de carne e osso.

Quem poderá então se espantar com os assassinatos mais fantasiosos, porém especialmente hediondos, praticados por jovens que perderam o horror ao crime de Caim?


quarta-feira, 6 de maio de 2015

1,1 bilhões de pessoas podem perder a audição
por abuso de eletrônicos

Organização Mundial da Saúde: nada é tão prejudicial para a audição  como usar os fones de ouvido durante várias horas por dia
Organização Mundial da Saúde: nada é tão prejudicial para a audição
como usar os fones de ouvido durante várias horas por dia



Embora o ruído esteja por todo lado, nada é tão prejudicial para a audição como usar os fones de ouvido durante várias horas por dia, diz estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS), citado pelo jornal Clarin.

Segundo a OMS, 50% das pessoas entre 12 e 35 anos no mundo (por volta de 1,1 bilhões) estão expostas a níveis de ruído prejudiciais, gerados por dispositivos eletrônicos como reprodutores de MP3 e smartphones. Eles poderiam sofrer perda de audição por exposição continuada.

Só na Argentina, sete milhões de jovens expõem-se a esse risco, sendo que cerca de 5,6 milhões ultrapassam a orla do risco e submetem-se a sons nocivos em clubes noturnos, discotecas, cervejarias, bares, cinemas, concertos rock e eventos esportivos.

“Eu percebi que há um ano aumentam as consultas por problemas relacionados com o uso de fones de ouvido. Entre os mais danosos estão os modelos de botão, que isolam hermeticamente e concentram a energia sonora sem atenuação”, explicou Carlos María Boccio, chefe do departamento de Otorrinolaringologia do Hospital Italiano, um dos mais importantes de Buenos Aires.

As células sensoriais e outras estruturas podem ser danificadas permanentemente, advertiu a OMS
As células sensoriais e outras estruturas
podem ser danificadas permanentemente, adverte a OMS
“Os danos na audição são lentos e irreversíveis. Quando há uma lesão, a primeira percepção é um pequeno zumbido, como quando a pessoa volta de uma discoteca ou um show rock”, disse Esteban Bercellini, otorrino do Hospital Alemán portenho.

A OMS aponta que 15 minutos de música a 100 decibéis (dB) equivalem ao impacto auditivo absorvido por um operário industrial numa jornada de 8 horas de trabalho em ambiente sonoro de 85 dB.

Quando os sons são demasiados fortes ou a exposição a eles acontece com regularidade ou de forma prolongada, as células sensoriais e outras estruturas podem ser danificadas permanentemente, advertiu a OMS.

A organização mundial também afirmou que 76% da população urbana sofre um impacto acústico habitual muito superior ao razoável.


quarta-feira, 29 de abril de 2015

Vice-presidente da Google alerta para inimaginada perda
de todos os dados virtuais do planeta

Vicepresidente da Google podemos perder todos os dados virtuais planetários num 'buraco preto' da informação
Vice-presidente da Google: podemos perder todos os dados virtuais do planeta
num 'buraco preto' de software e/ou hardware



O novelista Júlio Verne (1828—1905) imaginou um misterioso relojoeiro que cuidava dos relógios às mil maravilhas, mas mantinha uma curiosa relação com eles.

É o conto do “Mestre Zacarias ou o relojoeiro que perdeu sua alma”. Um belo dia todos os relógios deixaram de funcionar e o mestre ficou impotente para atender às reclamações dos clientes.

Falando na reunião anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência, em San José, Califórnia, Vint Cerf fez uma advertência evocativa do conto de Júlio Verne.

Vint Cerf não é relojoeiro, mas vice-presidente da Google, o gigante da Internet.

Ele disse que o imenso acúmulo de material digitalizado – blogs, tweets, fotos e vídeos, documentos oficiais, processos judiciais, contabilidades, bibliotecas e e-mails – pode se perder para sempre, segundo noticiou The Guardian de Londres.

Todos os dados que a humanidade confiou ao mundo digital poderiam se evaporar para sempre e ficar inacessíveis aos historiadores do futuro.

Vint Cerf disse que corremos o risco de nos tornarmos “a geração esquecida, ou inclusive o século esquecido”.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Escrever estimula o cérebro das crianças,
mas digitar um eletrônico, não

Dra. Karin James, neurocientista cognitiva da Universidade de Bloomington, Indiana, EUA
Dra. Karin James, neurocientista cognitiva da Universidade de Bloomington, Indiana, EUA



O uso intensivo de teclados e telas sensíveis ao toque, em vez de escrever à mão, está prejudicando a formação das crianças.

É o que revelou uma pesquisa conduzida pela neurocientista cognitiva Karin James, da Universidade de Bloomington, Indiana, EUA.

O estudo pôs em relevo a importância da escrita à mão para o desenvolvimento do cérebro infantil, segundo noticiou a BBC Brasil.

No estudo, as crianças foram separadas em dois grupos diferentes: um foi treinado para copiar letras à mão, enquanto o outro usou computadores.

O fato é que as crianças ainda não alfabetizadas são capazes de identificar letras, mas não sabem como juntá-las para formar palavras.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

O exemplo da China: Estado Islâmico
extrai à força órgãos de prisioneiros vivos

Hu Jie, 25, aceitou ser doador de órgãos, mas mudou de ideia. Não adiantou. Tiraram-lhe um rim com base no papel assinado.
Hu Jie, 25, aceitou ser doador de órgãos,
mas mudou de ideia. Não adiantou.
Tiraram-lhe um rim com base no papel assinado.



O diplomata iraquiano Mohamed Alhakim denunciou na ONU que o Estado Islâmico (EI, ou ISIS) arranca órgãos vitais de suas vítimas para contribuir no financiamento da organização terrorista, escreveu o Epoch Times.

Alhakim fez a denúncia sobre a extração forçada de órgãos em uma reunião do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

O ISIS pratica terríveis métodos de execução de seus prisioneiros, como decapitações, crucifixões ou incineração de pessoas vivas. Mas também copia o perverso esquema do Partido Comunista Chinês.

Segundo Alhakim, corpos encontrados em valas comuns evidenciam partes retiradas através de incisões cirúrgicas. Os órgãos teriam sido vendidos para lucro do Estado Islâmico.

Na China, as alegações da extração forçada de órgãos remontam a 2006. Os órgãos são vendidos por mais de cem mil dólares a estrangeiros e chineses ricos, em hospitais estatais. As vítimas são prisioneiros de consciência como cristãos, tibetanos, uigures, ativistas de direitos humanos.

A China promove o “turismo de transplantes”, destinado a estrangeiros ricos que viajam para fazer transplantes por vias imorais, porém mais em conta.

Ethan Gutmann, analista especializado em China e investigador de direitos humanos, autor do livro O Massacre: Assassinatos em massa, extração forçada de órgãos, e a solução secreta da China para o seu problema de dissidentes, calcula que mais de 65 mil opositores chineses sofreram essa cruel forma de extermínio.

quarta-feira, 1 de abril de 2015

461 sacerdotes britânicos pedem ao Sínodo
uma “clara e firme proclamação” da doutrina
e da pastoral milenar da Igreja

461 sacerdotes ingleses pediram ao Sínodo sobre a Família,
uma “clara e firme proclamação” da doutrina e da
pastoral tradicional da Igreja sobre o casamento e a família.



461 sacerdotes da Inglaterra e de Gales assinaram uma carta aberta solicitando ao Sínodo sobre a Família, a realizar-se em outubro de 2015, uma “clara e firme proclamação” da doutrina e da pastoral milenar da Igreja sobre o casamento e a família.

A carta aberta foi publicada no semanário Catholic Herald, um dos mais antigos (1888) e mais respeitados daquele país.

Eis o texto completo do documento:

Senhor,

Após o Sínodo Extraordinário dos Bispos em Roma, em outubro de 2014, surgiu muita confusão a respeito do ensinamento moral católico. Nesta situação, nós queremos, enquanto sacerdotes católicos, reafirmar a nossa fidelidade inabalável às doutrinas tradicionais relativas ao casamento e ao verdadeiro significado da sexualidade humana, fundamentadas na Palavra de Deus e ensinadas pelo Magistério da Igreja durante dois milênios.

Nós nos engajamos mais uma vez na tarefa de apresentar esse ensinamento na sua integridade, abordando com a compaixão do Senhor aqueles que lutam para obedecer às exigências e aos desafios do Evangelho numa sociedade crescentemente secularizada.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Zimbabwe e a fome final:
banidos os últimos produtores agrícolas

Velho discurso marxista guiou a reforma agrária e jogou o riquíssimo pais na miséria
Velho discurso marxista guiou a reforma agrária e jogou o riquíssimo pais na miséria



A reforma agrária no Zimbabwe jogou o país na miséria e na ditadura comunista. Porém, diante da fome, o regime marxista teve que dar astutos passos atrás.

Agora, o ministro do Interior, Joel Biggie Matiza, em discurso público a líderes agrícolas “assentados”, prometeu que a “corrupção” em decorrência da qual 10% das propriedades foram alugadas a diplomatas, a veteranos de guerra e outros capazes de produzir, iria acabar para não prejudicar mais a igualdade prometida pelo programa de reforma agrária, informou o “Zimbabwe News Day”.

Na mesma ocasião, o ministro do Território e Assentamento Agrário, Douglas Mombeshora, anunciou que o governo não permitirá mais que os “brancos” continuem ficando com o grosso da produção nas terras que lhes foram dadas em concessão.