quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Parar a crueldade muçulmana? Só por meio de uma Cruzada.

Atentado do Boko Haram na Nigéria: é ordem do profeta Maomé.
Atentado do Boko Haram na Nigéria: é ordem do profeta Maomé.
“Dezenas de milhares de cristãos abandonaram suas igrejas em ruínas para fugir de Boko Haram”, o movimento que segue o Alcorão ao pé da letra, disse à agência Fides o Pe. Patrick Tor Alumuku, encarregado de comunicações da arquidiocese de Abuja, capital da Nigéria.

“Falei com padres de Maiduguri (capital do estado de Borno, no nordeste do país, onde a seita islâmica é mais ativa) e eles me falaram de acontecimentos aterradores”, disse o sacerdote.

“O Boko Haram está decidido a eliminar todo sinal da presença cristã e muitas igrejas foram destruídas ou incendiadas. Na última semana, numa aldeia da área de Maiduguri, o Boko Haram confiscou o prédio da paróquia para nele instalar seu quartel local”.

De acordo com informações enviadas pelo bispo de Maiduguri, D. Oliver Dashe Doeme, “nas áreas onde o Boko Haram está agindo, os cristãos fogem aos milhares”. O bispo disse que pelo menos 90.000 católicos foram expulsos de suas terras.

O Pe. Patrick disse a Fides que “alguns são chefes de aldeias e cidades, outros são líderes religiosos muçulmanos (emires) que não se identificam com o que está sendo praticado pelo Boko Haram”.

Abubakar Shekau, chefe do Boko Haram diz que o morticínio dos cristãos é preceito ordenado pelo Corão.
Abubakar Shekau, chefe do Boko Haram diz que
o morticínio dos cristãos é preceito ordenado pelo Corão.
“Eles começaram a atacar escolas, com a desculpa de não quererem a educação ocidental, depois atacaram delegacias e casernas do Exército. Os ataques contra igrejas e cristãos, portanto, se enquadram na estratégia de conquistar o território ‘livre’ da presença de cristãos, assim como aconteceu no Iraque”, afirma o Pe. Patrick.

“Infelizmente, bom número dessas pessoas expulsas não podem sair das áreas de combate e é muito difícil lhes enviar ajuda humanitária. Se uma cidade como Maiduguri, com uma população de mais de um milhão de pessoas, for atacada pelo Boko Haram, o resultado será um desastre humanitário extremamente sério”, concluiu o porta-voz das comunicações sociais da arquidiocese de Abuja.

Não é a primeira vez que os mais coerentes seguidores de Maomé cometem crimes em massa em nome do Corão. Nessas ocasiões a Igreja pregou Cruzadas que, em meio a muitas vicissitudes favoráveis ou adversas, acabaram paralisando a fúria islâmica.

Porém, desde que no Ocidente se começou a falar mal dessas Cruzadas convocadas por Papas, Santos e concílios, os muçulmanos levantaram cabeça com a crueldade que Maomé lhes recomendou.

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

EUA: macaco que faz selfie não tem direito a copyright

Copyright Office: animal não é sujeito de direitos
Copyright Office: animal não é sujeito de direitos
O Copyright Office, órgão do governo norte-americano responsável pelo registro de direitos autorais, determinou que o direito não assiste a um macaco que tirou uma foto de si mesmo.

A norma especifica que “o órgão não registra trabalhos produzidos pela natureza, animais ou plantas”, segundo informou a UOL.

Entre os exemplos apresentados figura “uma foto tirada por um macaco” e “um mural pintado por um elefante”.

O Copyright Office dos EUA equivale ao Inpi ( Instituto Nacional da Propriedade Industrial) do Brasil.

A decisão favorece o fotógrafo britânico David Slater, que em 2011, durante uma viagem à Indonésia, acompanhou um grupo de 20 macacos pela floresta da ilha de Sulawesi.

“Eles passaram a mostrar um lado brincalhão, pulando em cima do equipamento”, contou Slater.

Ele deixou os bichos brincarem com o equipamento e eles registraram centenas de fotos a esmo, entre elas, um selfie que faz parte de uma seleção do jornal britânico “Daily Mail”.

O fotógrafo David Slater com os macacos que brincavam com sua câmara.
O fotógrafo David Slater com os macacos que brincavam com sua câmara.
Não possuindo alma espiritual e carecendo, portanto, de intelecto, os animais não são detentores de direitos.

Esta conclusão, que parte das noções mais primarias sobre a realidade, foi aceita pelas civilizações.

Só a decadência moral dos homens os levou a acreditar supersticiosamente que os animais possuem espírito, e até que possam ser cultuados como deuses, como se pode ver em tribos africanas, americanas e religiões asiáticas fortemente impregnadas de demonismo.

O mesmo erro está sendo espalhado por uma falsa propaganda ecologista no mundo considerado até aqui civilizado.

A decisão do órgão americano ainda respeita o bom senso e o Direito. Mas, quanto tempo ela permanecerá de pé, tendo em vista a penetração da revolução verde neopagã?

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Jornal de papel derrota Internet

"Quem matou l'Unità"? Parece novela de Agatha Christie, mas não é.
O verdadeiro "assassino" foi o desinteresse dos leitores pela imprensa de esquerda.

Fala-se muito que a Internet está eliminando a imprensa escrita. A comunicação virtual tem suas vantagens, sem dúvida. Mas será essa afirmação tão absolutamente verdadeira?

Seja-me permitido discordar, ainda que parcialmente. Acredito que de tanto carregar o viés esquerdizante, há décadas a mídia escrita vem praticando o seu haraquiri.

A sistemática distorção dos fatos num sentido esquerdizante afastou-a de seus leitores naturais. A mídia foi ficando como um disco voador que sobrepaira as massas humanas sem que estas consigam mesmo discernir suas formas ou intenções.

Porém, para nossa desgraça, não havia alternativa: o macro-capitalismo publicitário era a única fonte de informação escrita, ou audiovisual por rádio ou TV.

Mas, com o aparecimento da Internet, foi uma verdadeira corrida dos leitores.

- Para onde?

- Para mais do mesmo?

Não, para os sites conservadores ou para os que fugiam do figurino esquerdizante do macro-capitalismo publicitário.

Os exemplos são incontáveis, mas eis um, mais recente.

O jornal “l'Unità”, do comunismo italiano, está fechando, como noticiou a UOL. Ele foi fundado, nada mais, nada menos, que por Antonio Gramsci, o pensador mais avançado, sutil e inteligente, aquele cujos maquiavélicos conselhos levariam o anticatolicismo marxista à vitória segundo os ideólogos ainda acham acham. E não só na esquerda!

L’Unità surgiu em 1924 e, 90 anos depois, em 1º de agosto de 2014 publicou a sua última edição. A Nuova Iniziativa Editoriale (NIE), sua editora, está em liquidação desde 11 de junho, por decisão dos acionistas.

Argumento único e decisivo: falta de leitores.

O último exemplar do jornal do maquiavélico Gramsci.
As páginas não expostas saíram em branco: não tinham leitores e esgotaram as ideias
A última manchete do jornal serviria para Verdi compor uma ópera: “Mataram l'Unità”. A edição final teve 24 páginas: três sobre o fechamento, uma convidando os últimos fiéis a visitar sua biblioteca eletrônica, e as demais em branco. Sem pensamento, é bem verdade, mas também para que pensar, escrever e editar? Para ninguém ler por desinteresse?

“Fim de carreira. Depois de três meses de luta, conseguiram: mataram l'Unità”, pranteou o comitê de redação. “Os trabalhadores ficaram defendendo sozinhos um título histórico”, acrescentou. Faltou dizer que hoje as classes trabalhadoras votam na direita.

O órgão comunista sobreviveu momentos terríveis, como a era fascista ou a II Guerra Mundial. Mas entrou em agonia após o colapso da URSS.

As ideias comunistas, mesmo no seu faceiro invólucro gramsciano, não interessavam mais.

L’Unità fechou brevemente em 2000 e reabriu graças a acionistas privados. Algo parecido com a crise do Libération de Paris, o jornal das barricadas de Maio de 1968 sustentado hoje por grandes banqueiros, contra os quais outrora deblaterava.

As vendas de l’Unità atingiram pouco mais de 20 mil exemplares diários e o jornal “jogou a toalha”.

Sem capitais para sustentar a folha anticapitalista, os jornalistas trabalharam sem receber nos últimos três meses. Nem os partidos de esquerda no governo, nem o primeiro-ministro Matteo Renzi, dono de parte das ações, vieram em seu auxílio.

Em sentido contrário, há um jornal cuja orientação eu não partilho, mas sempre que o via exposto nos quiosques de Paris, tratava-o com respeito. Esse jornal não se descolou do público.

Le Canard Enchaîné: um héroi vitorioso berrando contra aquilo que a grande mídia glorifica. Assim virou o jornal que não descolou de seu público e seu público não descola dele.
Le Canard Enchaîné: um héroi vitorioso berrando contra aquilo que a grande mídia glorifica.
Assim virou o jornal que não descolou de seu público e seu público não descola dele.

Seu nome faz rir: Le Canard Enchaîné, isto é O Pato Acorrentado. É um jornal satírico de origens anarquistas que evoluiu para o centro.

Ele sobreviveu às duas guerras mundiais, à ocupação, à censura, aos ataques e espionagens de governos de direita e de esquerda, às manias da moda, às tormentas econômicas e, por fim, gloriosamente, à Internet, como observou O Globo (31.07.2014).

Com 99 anos, o “jornal satírico que sai às quartas-feiras” — como ele se ufana de autodefinir-se — acabou ficando a publicação francesa mais respeitada e venerável do presente.

Tem apenas oito páginas, sua diagramação não mudou desde o primeiro número há um século: só usa o preto, o branco e o vermelho; privilegia os textos e custa poucos reais. Recusou todas as modernizações, e o público francês, ao qual não falta verve nem mordacidade, reconheceu o talento do marreco furioso.

Canard só sai em papel, nada de edição em linha. Vende quase meio milhão de exemplares por número, enquanto os títulos famosos definham.

É também uma potência econômica, explica O Globo: tem mais de 100 milhões de euros em caixa, aplicados unicamente em títulos conservadores, de longuíssimo prazo, enquanto os outros - os pomposos, os célebres, os esquerdizantes -  vivem implorando créditos que governos e bancos lhes concedem com reticências cada vez maiores.

Le Canard Enchaîné: um herói vitorioso e desapiedado contra o pântano imenso da Internet
Le Canard Enchaîné: um herói vitorioso e desapiedado contra o "ciber-pântano"
Última esquisitice de exceção – ou suprema prova de sucesso –, o jornal vive exclusivamente da venda em bancas e assinaturas. Nunca publicou anúncios, por achar que a propaganda compromete a sua independência.

Canard também quer dizer notícia deliberadamente falsa e, ainda, jornaleco, publicação de segunda categoria. E, ainda por cima, o marreco acorrentado fica frenético.

É um trocadilho que indica a sátira aos pomposos, o ataque engraçado à feira de vaidades da política, da economia, dos artistas, das modelos, dos desportistas, dos estilistas e dos “famosos” que entulham as páginas dos nossos jornais, rádios, telas de TV e sites da Internet.

Pense-se dele o que se pensar, discorde-se como se queira – como é o meu caso –, cumpre reconhecer que o Canard não se afastou de seus leitores de carne e osso, deu espaço ao humor francês – ao francês real e concreto como ele é.

Em reportagens de rolar de rir para o gosto de O Globo, de agressividade ímpar, o jornal das reportagens e cartuns acaba de publicar cem páginas sobre os humoristas da televisão, do cinema, do teatro e da Internet. Nelas, O Pato Acorrentado diz muitas coisas que o parisiense comum pensa e que os jornais sisudos, mas descolados dos leitores, não dizem.

Confesso que tenho vontade de fechar logo o artigo. Bem gostaria estar em Paris e dar uma olhada de passagem na inteligência desse jornal do papel e do mundo real. E com o qual eu não concordo!

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Sem crianças, metade das cidades japonesas pode se extinguir

Reprime-se a natalidade e o país vira um enorme refúgio de velhos
Reprime-se a natalidade e o país vira um enorme refúgio de velhos

O que nem a bomba atômica conseguiu a ‘cultura da morte’ está obtendo: extinguir a população do Japão.

Uma subcomissão ad hoc do Conselho de Política do Japão chegou à conclusão de que quase metade dos municípios do país terá dificuldades para continuar existindo normalmente até 2040, informou a BBC Brasil.

O estudo focou a população de mulheres com idade de 20 a 39 anos, pois elas são o fator-chave para o futuro da população japonesa.

Liderada pelo ex-ministro de Assuntos Internos, Hiroya Masuda, dita subcomissão elaborou a lista das cidades, vilas e aldeias cujas populações diminuirão em pelo menos 50% no período 2010-2040, se continuarem as atuais tendências anti-populacionais.
Censo 2005 do Japão: as cores apontam a idade média e o envelhecimento do país.
Censo 2005 do Japão: as cores apontam a idade média e o envelhecimento do país.

A estimativa está baseada nas estatísticas do Instituto Nacional de População e Pesquisa da Segurança Social.

O Instituto apontou 896 municípios, ou 49,8% do total do país, como locais que podem desaparecer, virando cidades fantasma.

523 localidades, cujas populações estão abaixo de 10 mil moradores – cerca de 30% do total –, tendem a “quebrar” por falta de crianças nas próximas décadas.

Em contrapartida, a população aumenta nas grandes cidades, procurando emprego, dinheiro e sensações, mas sem pensar na família e em ter filhos.

Onjuku é uma das cidades que podem virar 'fantasma' segundo a BBC.
Onjuku é uma das cidades que podem virar 'fantasma' segundo a BBC.
O governo japonês quer formar um comitê para tratar exclusivamente da regeneração das cidades do interior, focado principalmente na criação de postos de trabalho para jovens e no aumento da taxa de natalidade.


quarta-feira, 22 de outubro de 2014

“Polícia islâmica” nas ruas apavora Alemanha

Policiais da Sharia (lei islâmica) vigiam ruas na Alemanha
Policiais da Sharia (lei islâmica) vigiam ruas na Alemanha

A cidade de Wuppertal, na Alemanha, está espantada por um estranho policiamento.

Os novos guardas se apresentam como a “polícia da sharia”, a lei islâmica cuja aplicação eles controlam, informou reportagem do jornal espanhol “El País”.

Uma dezena de jovens islamitas trabalha nas ruas para impedir que colegas da mesquita Masjid Darul Arqam bebam cerveja, fumem ou frequentem fliperamas. A “polícia da sharia” de Wuppertal usa jalecos identificativos.

Mas a autodenominada “polícia da sharia” convulsiona a opinião pública da Alemanha, temerosa de que isto seja apenas um início encoberto da instalação de um regime que no fim será dirigido por fanáticos islâmicos.

Wuppertal tem 350.000 habitantes e 10% são islâmicos. Samir Bouaissa, representante da comunidade maometana, diz que é muito difícil conter a atração dos jovens pelos jihadistas, deixando os alemães mais alarmados.

A polícia alemã aumentou a vigilância e as autoridades habilitaram um telefone para receber denúncias das atividades suspeitas das patrulhas de radicais islâmicos.
Policiais da Sharia, foto no Facebook.
Policiais da Sharia, foto no Facebook.
“O perigo é sua capacidade de recrutar jovens para fazer a ‘guerra santa’ na Síria e no Iraque, podendo voltar depois mais radicalizados para a Alemanha”, observa a polícia local.

A prefeitura estima que existam 1.800 pessoas ligadas ao ramo radical do Estado Islâmico no estado da Renânia do Norte-Vestefália, o mais populoso da Alemanha, onde está Wuppertal. Os islamitas radicais também agem em grandes cidades como Hamburgo, Berlim, Frankfurt e Leipzig.

Recentemente foi confirmado que dezenas de fanáticos saíram da Alemanha para lutar nas fileiras do Estado Islâmico no Oriente Médio.

Os 11 “policiais do Islã”, que foram presos e libertados, nasceram em território alemão. Alguns não são de famílias estrangeiras, mas se perverteram à religião de Maomé em solo alemão.

Para muitos cidadãos, os temidos radicais já estão em casa e podem ser loiros e de olhos azuis.

Policial da Sharia exibe lista de costumes proibidos.
Policial da Sharia exibe lista de costumes proibidos.
A chanceler Angela Merkel advertiu que “ninguém está autorizado a agir como policial”.

O ministro do Interior, o democrata-cristão Thomas de Maizière, proibiu qualquer atividade ou propaganda do Estado Islâmico.

“Temos de impedir que os extremistas tragam sua guerra santa às nossas cidades”, advirtiu.

Porém, todos sabem que esses “guerreiros do Corão” não estão ali para obedecer às leis ou às palavras dos ministros.

Mathias Rohe, professor da Universidade de Erlangen, insiste que “é muito importante não confundir os radicais com os muçulmanos inseridos na sociedade”.

Mas é muito difícil convencer disso uma população que vê na experiência quotidiana que os piores saem do meio dos “menos piores”.


quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Favelados: mais felizes que os ricos famosos

Renato Meirelles: “94% dos moradores de favela são felizes”
Renato Meirelles: “94% dos moradores de favela são felizes”

Onde está a felicidade?

Se ouvirmos a Vulgata da Teologia da Libertação ou O Capital de Karl Marx, a felicidade está entre os ricos que têm tudo o que querem, até com dano aos mais pobres.

Mas se tomarmos distância dos mitos dos laboratórios sociológicos do marxismo e das sacristias aggiornatti e ouvirmos a realidade, a resposta é bem outra.

“94% dos moradores de favela são felizes”, por exemplo, é o que, em entrevista concedida ao portal IG, revela Renato Meirelles, autor do livro Um país chamado Favela. Ele é sócio-diretor do Data Popular, instituto de pesquisa das classes mais pobres do Brasil.

Meirelles e o ativista Celso Athayde estão difundido o livro que aponta uma realidade bem concreta e bem diversa da espalhada pelas esquerdas leigas e eclesiásticas.

Um dado é concludente: enquanto artistas e ídolos famosos, frustrados após uma vida de prazeres, recorrem com frequência ao suicídio, 94% dos moradores da favela afirmam ser felizes, 74% consideram que a vida melhorou, e 66% dizem não ter vontade de sair da favela, mesmo se suas rendas dobrassem.

O livro foi baseado na pesquisa “Radiografia das favelas brasileiras”, de setembro de 2013, que ouviu dois mil moradores de 63 favelas brasileiras em 10 Estados.

Meirelles calcula que se existisse um Estado brasileiro chamado Favela, ele seria o quinto maior do País, pois contaria com 12 milhões de habitantes.

Nesse “Estado” ou “país”, os cidadãos estão convencidos que a vida melhorou. A renda per capita cresceu 54,7% nos últimos 10 anos, bem acima da média brasileira que foi de 37,9%. Mais, um terço dos habitantes ingressou na classe média, a julgar pela renda.

“A favela também se transformou num grande mercado consumidor. Em 2014, as favelas devem movimentar R$ 64,5 bilhões. É como se pegasse todo o consumo do Paraguai e somasse com o da Bolívia”, diz o livro.

'Vida feliz' com dinheiro e longe de Deus acaba em tragédia
'Vida feliz' com dinheiro e longe de Deus acaba em tragédia
Os favelados aprenderam como gerar renda, seja abrindo um salão de beleza no puxadinho de casa, seja cuidando dos filhos do vizinho, ou emprestando o cartão de crédito para um amigo. E os exemplos se multiplicam.

O que é isso? Simplesmente, livre iniciativa, propriedade privada e uma certa dose de fuga da invasão tributária, que afoga outras categorias sociais.

Só isso? Só Direito Natural?

Há um outro dado. A felicidade não está no dinheiro, nem no capricho. Está na reta ordem da alma posta diante de Deus, mesmo carecendo ou sofrendo.

Conhecer, amar e servir a Deus nesta terra para gozar de sua presença na bem-aventurança eterna, é o mais sábio dos conselhos.

E dessa alegria eterna Deus já vai antecipando primícias para aqueles que O procuram com despretensão nesta vida terrena. E isto está ao alcance de todas as classes sociais, desde que não se deixem iludir pela miragem dos “famosos” do jet-set.


quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Guerra Espiritual nos EUA – Norte-americanos se manifestam contra a missa negra satânica



Ben Broussard 


“São Miguel Arcanjo, defendei-nos no combate…”

Por todo o país, a oração familiar ao Príncipe da Milícia Celeste estava nos lábios de milhões de católicos fiéis, implorando com confiança a ajuda do Arcanjo contra uma ameaça preternatural.

No dia 21 de setembro foi a primeira vez que uma missa negra satânica aconteceu em uma propriedade pública nos Estados Unidos.

O centro cívico da cidade de Oklahoma City, no centro do país, foi o local escolhido para o sacrilégio.

D. Kemme puxa o terço
Um grupo satânico chamado “Dakhma of Angra Mainyu” fez um anúncio em julho sobre o evento e também declarou que tinha uma hóstia consagrada roubada de uma Igreja Católica para profanar durante a missa satânica.

Um processo da Arquidiocese de Oklahoma City rapidamente assegurou o regresso da hóstia, mas muitas pessoas expressaram o medo de que os satanistas tivessem uma outra hóstia em segredo.

Mais de 200.000 norte-americanos participaram de abaixo-assinados contra a missa negra, com milhares de chamadas telefônicas e emails enviados ao local para cancelar o evento blasfemo.

Mas mesmo em face dessa oposição pública, sem precedentes na história do país, os funcionários se recusaram a ceder.

Protestos e Atos de Reparação

Hora Santa de Reparação na igreja de São Francisco de Assis em Oklahoma City
Às 3 horas da tarde do mesmo dia 21 de setembro, quatro bispos, dezenas de padres e monjas, bem como mais de 3.000 católicos fiéis se reuniram na igreja de São Francisco de Assis em Oklahoma City para uma Hora Santa de Reparação.

A Hora foi concluída com uma procissão do Santíssimo Sacramento no bairro perto da igreja, todos os presentes ofereceram orações públicas para consolar Nosso Senhor verdadeiramente presente na Sagrada Eucaristia.

Pouco tempo depois, em frente do centro cívico, a Sociedade Americana para a Defesa da Tradição, Família e Propriedade (TFP) fez uma manifestação contra a sacrílega missa negra.

Os estandartes vermelhos dominaram o ambiente e centenas de católicos – de perto e longe – chegaram para juntos se opor ao ataque público contra o Santo Sacrifício da Missa.

Membros de America Needs Fatima contra o ataque à Igreja
Membros de America Needs Fatima seguravam cartazes com mensagens se opondo ao ataque contra a Igreja Católica, como:

“A missa negra é do inferno” “Renunciamos ao demônio e à todas a suas obras” e “Deus sempre, Satanás nunca!”

Às 5 horas da tarde, membros da TFP, com seu hábito cerimonial, fizeram uma procissão solene com a Imagem de Nossa Senhora de Fátima enquanto hinos marianos, tocados nas gaitas de fole e cantados por todos presentes, dominaram o ambiente.

Ladainhas, terços e muitas outras orações foram oferecidas para consolar Nossa Senhora e Nosso Senhor, ofendidos imensamente com o sacrilégio satânico acontecendo dentro do prédio, a poucos metros em frente.

Desde o começo deste ato de reparação, a oposição apareceu de todos lados. Anarquistas com mascaras de Guy Fawkes sentaram-se em alguns bancos tentando zombar dos católicos.

Protestantes chegaram de todos lados, gritando insultos contra Nossa Senhora e abertamente atacando a Igreja Católica.

Ateus e satanistas carregavam cartazes com mensagens ofensivas.

Mas os mais de 600 católicos presentes não desanimaram, todos juntos responderam com confiança com orações e cânticos, abafando os protestos contrários.

A Mulher e a Serpente

40 pessoas assistiram à missa negra satânica, pela primeira vez praticada em propriedade pública, financiada por contribuintes norte-americanos com ajuda de funcionários do governo.

Os católicos fiéis tomaram uma posição definitivamente contra este ritual sacrílego e satânico, confiando na Rainha dos Anjos que, sabemos, vai esmagar a cabeça orgulhosa da serpente.

Com a ameaça demoníaca crescendo nos Estados Unidos e por todo o mundo, renovamos nossa confiança em Nossa Senhora que prometeu em Fátima: “Por fim, meu Imaculado Coração triunfara!”


terça-feira, 7 de outubro de 2014

São Tomás de Aquino: no islamismo acreditaram homens animalizados, totalmente ignorantes da doutrina divina, que obrigaram aos outros pela violência das armas

São Tomás de Aquino, apoiado em Platão e Aristotes, esmaga Averroes, 'sábio' maometano
São Tomás de Aquino, apoiado em Platão e Aristoteles,
esmaga Averroes, 'sábio' maometano

O que achar do islamismo e de seus prosélitos? Como interpretar os crimes que estão praticando contra os cristãos, sua adesão ao Corão (Livro) de Maomé, e as tentativas de diálogo e ecumenismo com eles?

São Tomás nos ensina com a concisão e a sabedoria do maior mestre e Doutor da doutrina e do método de pensamento da Igreja Católica:
“Tão maravilhosa conversão do mundo para a fé cristã é de tal modo certíssimo indício dos sinais havidos no passado, que eles não precisaram ser reiterados no futuro, visto que os seus efeitos os evidenciavam.

“Seria realmente o maior dos sinais miraculosos se o mundo tivesse sido induzido, sem aqueles maravilhosos sinais, por homens rudes e vulgares, a crer em verdades tão elevadas, a realizar coisas tão difíceis e a desprezar bens tão valiosos.

“Mas ainda: em nossos dias Deus, por meio dos seus santos, não cessa de operar milagres para confirmação da fé.

“No entanto, os iniciadores de seitas errôneas seguiram caminho oposto, como se tornou patente em Maomé (o fundador do Islã):

Militantes do ISIL no Iraque
Militantes do ISIL no Iraque
“a) Ele (Maomé) seduziu os povos com promessas referentes aos desejos carnais, excitados que são pela concupiscência.

“b) Formulou também preceitos conformes àquelas promessas, relaxando, desse modo, as rédeas que seguram os desejos da carne.

“c) Além disso, não apresentou testemunhos da verdade, senão aqueles que facilmente podem ser conhecidos pela razão natural de qualquer medíocre ilustrado. Além disso, introduziu, em verdades que tinha ensinado, fábulas e doutrinas falsas.

“d) Também não apresentou sinais sobrenaturais. Ora, só mediante estes há conveniente testemunho da inspiração divina, enquanto uma ação visível, que não pode ser senão divina, mostra que o mestre da verdade está inspirado de modo invisível.

“Mas Maomé manifestou ter sido enviado pelo poder das armas, que também são sinais dos ladrões e dos tiranos.

“e) Ademais, desde o início, homens sábios, versados em coisas divinas e humanas, nele não acreditaram.

Chefe do Boko Haram e sequazes na Nigéria
Chefe do Boko Haram e sequazes na Nigéria
Nele, porém, acreditaram homens que, animalizados no deserto, eram totalmente ignorantes da doutrina divina. No entanto, foi a multidão de tais homens que obrigou os outros a obedecerem, pela violência das armas, a uma lei.

“f) Finalmente, nenhum dos oráculos dos profetas que o antecederam dele deu testemunho, visto que ele deturpou com fabulosas narrativas quase todos os fatos do Antigo e do Novo Testamento.

“Tudo isso pode ser verificado ao se estudar a sua lei. Já também por isso, e de caso sagazmente pensado, não deixou para leitura de seus seguidores os livros do Antigo Testamento, para que não o acusassem de impostura.

“g) Fica assim comprovado que os que lhe dão fé à palavra creem levianamente”.

(Autor: São Tomás de Aquino. Suma contra los Gentiles. Livro I, Capítulo VI, Club de Lectores, Buenos Aies, 1951, 321. p.76 e ss.).

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Bola de fogo, meteorito gigante e asteroide concomitantes: sinais do Céu?

Grande bola de fogo mais brilhante que a Lua atravessou o céu da Espanha. Foto na Catalunha.
Grande bola de fogo mais brilhante que a Lua atravessou o céu da Espanha.
Foto na Catalunha.
No início de setembro uma imensa bola de fogo, mais brilhante do que uma lua cheia, atravessou o céu da Catalunha, sudeste da Espanha.

Por volta das sete da manhã do dia 7, cidadãos de Barcelona, Tarragona, Olesa de Montserrat, Berga, Ullastrell e Badalona viram o inusual fenômeno meteorológico e postaram imediatamente fotos, vídeos e comentários nas redes sociais.

O super-bólide, nome do meteorito de grande tamanho, também sobrevoou a região de Aragão, deixando uma cauda de cor rosa e branca no céu. O fenômeno foi confirmado pela Agencia Estatal de Metereologia (AEMET).

Ele aconteceu no mesmo dia em que um asteróide passou perto da Terra sem causar nenhuma ocorrência, noticiou o ABC de Madri.

O jornal El Mundo de Madri afirmou que o super-meteorito foi avistado em regiões distantes, como Comunidade Valenciana, Andaluzia, Castilla-La Mancha, Castela e Leão, Madri e Estremadura.

O bólide de cores mutáveis deixou um longo rastro antes de se desintegrar.

Caem constantemente meteoritos na Terra. Todos os anos eles são milhares, somando algumas centenas de toneladas de peso. Normalmente eles se desintegram na atmosfera, produzindo as famosas “estrelas cadentes” largamente conhecidas.

Meteorito caiu perto do aeroporto de Manágua.
Meteorito caiu perto do aeroporto de Manágua.
Porém, nesses mesmos dias caiu um meteorito de tamanho inusual em Manágua, capital da Nicarágua, abrindo grande cratera perto do aeroporto internacional da cidade, segundo informou o jornal de Paris Le Monde.

Para as autoridades da Nicarágua, não há dúvida de que se trata de um meteorito. Felizmente não houve registro de vítimas naquela cidade de 1,2 milhões de habitantes.

O impacto foi tão violento que foi registrado pelos instrumentos destinados a detectar sismos. A Nicarágua tem mais de 20 vulcões e registra terremotos regularmente. Órgãos especializados dos EUA foram acionados.

Tudo indica tratar-se de diversos fenômenos naturais. Chama contudo a atenção o fato de eles acontecerem quase que simultaneamente, num momento em que o mundo assiste a espantosas catástrofes desencadeadas pelo ódio anticristão no Oriente Médio e na Ucrânia.

Haverá em tudo isso um sinal do Céu?

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

À beira da morte teólogo da “autodemolição da Igreja” pleiteia o suicídio

À beira do juízo de Deus, teólogo autodemolidor
pleiteia o falso 'direito ao suicídio'
Após ter consagrado sua vida a elaborar uma teologia “progressista” que justifica a “autodemolição” da Igreja e a sinistra entrada da “fumaça de Satanás” no templo sagrado, segundo afirmou Paulo VI, o teólogo suíço Hans Kung se prepara para comparecer diante de Deus, informou a agência “Infocatho” da Bélgica.

Na teologia de Kung, adotada por artífices do “pós-concílio”, essa transcendental passagem não tem maior importância. O inferno não existe, Deus não pune, não há pecado, exceto nas desigualdades sociais e na “alienação” existentes na Igreja. Mas ele é um grande pregador contra dita “alienação” e desigualdade!

A hora chega para todos e o teólogo Kung, um dos grandes elucubradores do Vaticano II, está hospitalizado em fase terminal. Ele acaba de superar felizmente uma fase clínica que parecia ser a final.

Diante dessa perspectiva inelutável, ele preparou um livro que deve aparecer com o título “Morrer feliz?”

No posfácio, ele reafirma seu apoio ao falso “direito de escolher a morte” e ao iníquo “suicídio assistido”, condenado pelo Mandamento “Não matarás”.

Hans Kung tem 86 anos e sofre de Parkinson. “Ninguém deveria suportar o sofrimento insuportável como se este fosse enviado por Deus”, escreve em seu derradeiro livro.

Nosso Senhor tendo escolhido a morte de Cruz
teria agido mal na lógica dos sofismas de Kung
Entretanto, foi o que fez Nosso Senhor Jesus Cristo padecendo as inenarráveis dores da Paixão para nos remir, tendo aceitado no alto do Gólgota todas as dores que Deus Pai lhe enviou. Foi o que fizeram as legiões de santos e almas seguidoras de Cristo.

Pode o discípulo ser mais que o Mestre, não seguir o divino exemplo através do sofrimento que Deus lhe envia?

Para Hans Kung todos somos iguais e não há nem discípulo nem mestre. É o povo que decide democraticamente. E Kung dá a entender que teria o direito de escolher o suicídio.

Em outras ocasiões ainda, o teólogo da revolução na Igreja defendeu que diante de Deus cada um tem o direito de decidir sobre sua vida e sua morte. Como se a vontade do Criador e Supremo Juiz da vida e da morte não devesse ser obedecida como suprema.

Essa posição de Kung colidiu sempre com a Igreja. Mas ele mesmo contribuiu para desenvolver como um câncer as tendências que hoje coonestam todas as formas de imoralidade, inclusive o suicídio.

E também para uma espécie de suicídio coletivo da Igreja Católica – que, aliás, Deus nunca permitirá! Mas a ideia grassa nas fileiras da revolução eclesiástica que se infiltrou até nas fileiras sagradas da Hierarquia!


quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Fanáticos islâmicos aspiram conquistar a Europa e o mundo

Abu Bakr al Baghdadi, chefe do 'califado' islamico
que vem massacrando os cristãos na Síria e no Iraque
Da Síria, falando perfeito espanhol e árabe, dois extremistas islâmicos postaram uma mensagem reveladora dos intuitos conquistadores do fundamentalismo hodierno.

Deitado num sofá, um fanático ameaça: “Em nome de Alá. Estamos em Terra Santa e eu digo ao mundo todo e aviso: estamos sob a bandeira islâmica e vamos morrer por ela até que tenhamos tomado conta de toda a terra, de Jacarta até a Andaluzia. E vos digo: a Espanha é terra de nossos avós e vamos tomar conta dela pelo poder de Alá”, noticiou o jornal “El Mundo”, de Madrid.

Bravata análoga foi publicada por Abu Bakr al Baghdadi, líder dos terroristas do Estado Islâmico de Iraque e Síria (ISIS), considerado o grupo islâmico mais perigoso e criminoso do momento.

Esse líder se autoproclamou califa, ou líder supremo dos crentes maometanos, e seu grupo está exterminando os católicos do Iraque, após ter martirizado ou expulsado inúmeros outros na Síria.

Ele havia sido detido pelo exército americano no cárcere de Bucca, no Iraque, mas o presidente Obama mandou libertá-lo em 2009, juntamente com todos os prisioneiros.

Em sua exortação bélica, entre outras frases exaltadas, Al-Baghdadi diz: “Pegai nas armas, pegai nas armas, ó soldados do Estado Islâmico! E combatei, combatei!

“Erguei bem alto vossas cabeças, porque hoje vós tendes um califado que vai reunir caucasianos, indianos, chineses, iraquianos, iemenitas, egípcios, magrebinos, americanos, franceses, alemães e australianos. A Síria não pertence aos sírios e o Iraque não pertence aos iraquianos. A Terra toda pertence a Alá”.

“Esta é minha advertência: vós conquistareis Roma e possuireis o mundo todo”, noticiou o site “Gateway Pundit”. 

Califados foram fundados às pencas na história do islamismo, mas muitos poucos vingaram e nenhum sobrou. Propósitos aloucados do gênero são pronunciados todas as sextas-feiras (dia santo no Islã) nas mesquitas, inclusive no Ocidente.

Mas quando as palavras são acompanhadas de morticínios em massa, como está acontecendo na Síria e no Iraque, devem ser tomadas muito a sério.

Católicos estão sendo massacrandos na Síria e no Iraque
E, mais especialmente, quando os mesmos objetivos são anunciados por líderes islâmicos revestidos de verdadeiro poder, como é o caso do primeiro-ministro da Turquia Recep Tayyip Erdogan, acolhido no mês de junho último em Viena.

No dia de Corpus Christi, o premiê desse populoso país maometano, em vias de ingressar na União Europeia, discursou ante 7.000 imigrantes turcos na Áustria.

A multidão o ovacionou quando declarou: “Nós somos os netos do poderoso Sultão Solimão. Nós somos os herdeiros de heróis como Maomé IV e Kara Mustafá Pachá”, em referência aos chefes dos exércitos otomanos que sitiaram a cidade de Viena.

Solimão o Magnífico tentou apossar-se da capital austríaca em 1529, e em 1683 Maomé IV lançou contra ela suas tropas, comandadas por Kara Mustafá Pachá.

No primeiro caso, a heroica defesa da cidade pelo conde Nicolas Salm, após longos combates, forçou os turcos a abandonar o assédio, fato que foi considerado miraculoso pelos cristãos .

No segundo assédio, a épica libertação de Viena, efetuada por João Sobieski, Rei da Polônia, levou o Papa Inocêncio XI a instituir a festa do Santíssimo Nome de Maria. Após a batalha, o Beato Marco d’Aviano, frade capuchinho, foi aclamado vencedor devido à sua pregação, que entusiasmou os soldados de Cristo.

Porém, hoje os tempos mudaram na Igreja e nos países outrora cristãos. O jornal alemão “Die Zeit” limitou-se a fazer um sarcasmo numa manchete intitulada: “Os netos dos ocupadores”.

Mohamad Yazgi, 26, comentou que no local “muitos diziam que Erdogan é o sultão da Turquia. E eu acho isso mesmo!”, noticiou “Nouvelles de France”.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Maiores inteligências (Q.I.) do mundo acreditam em Deus

Garry Kasparov: Grande Mestre e ex-campeão mundial de xadrez,
considerado o maior enxadrista de todos os tempos
Sempre pareceu evidente: o ateísmo emburrece. Mas os negadores de Deus clamavam ufanamente que “todas as pessoas cultas são ateias”.

Ou até que as “pessoas que acreditam em Deus o fazem por ignorância”.

Era uma espécie de legenda urbana, um boato pertinaz que não cessava nem mesmo olhando para os rostos dos ateus mais empedernidos e expressivos.

Mas agora está disponível o catálogo das pessoas com mais alto coeficiente de inteligência (Q.I.) já verificado no mundo.

E basta olhar para os dez primeiros, para constatar que o verdadeiro é o oposto.

O site “Examiner.com” publicou a lista das dez pessoas com maior Q.I. do planeta e nela encontramos pessoas das mais diversas procedências, estudos e idades.

A única constante é que todas acreditam em Deus, embora não todas professem a mesma religião.

O site concluiu de modo bem-humorado que as inteligências mais brilhantes não recusam a existência de uma Inteligência Criadora (Intelligent Designer).


quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Freira suíça prega a eutanásia e bispos “dialogam” com ela

Sóror Marie-Rose Genoud, religiosa ursulina do cantão de Valais, na Suíça, já era bem conhecida pelo seu ativismo em favor de imigrantes ingressados ilegalmente. Agora deu mais um passo, declarando-se favorável à eutanásia, disfarçada em “suicídio assistido”, informou a revista francesa La Vie.

Em entrevista à revista semanal Schweiz am Sonntag, a religiosa suíça apoiou todas as pessoas que “com pleno conhecimento de causa, escolhem pôr fim à sua vida”, suicídio gravemente proibido pelo V Mandamento da Lei de Deus.

Ela justificou sua imoral posição com a frase “Deus está pela liberdade”. Segundo a religiosa de 75 anos, as associações que promovem o suicídio “assistido” atendem a um desejo “legítimo” da população.

Dom Norbert Brunner, bispo de Sion, lembrou que o ensinamento da Igreja Católica é muito claro contra o “suicídio assistido” e que Sóror Marie-Rose Genoud não o obedecia.

Mas o bispo prometeu que dialogaria com a freira e “procederia a um intercâmbio de ideias, mas não aplicaria eventuais sanções”.

A Conferência Episcopal Suíça (CES), através de seu porta-voz Simon Spengler, aproveitou a oportunidade para defender “que um debate é necessário, inclusive no interior da Igreja”, sobre temas que estão fora de discussão há séculos.

Essa posição dialogante rendeu copiosos dividendos à contestação subversiva da freira que não quer seguir os Mandamentos da Lei de Deus.


quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Prefeito de Pádua instala crucifixos
e proíbe cultos islâmicos em prédios públicos

Massimo Bitonci com crucifixos para instituições da prefeitura de Pádua.
Massimo Bitonci com crucifixos para instituições da prefeitura de Pádua.
O prefeito da cidade de Pádua, Massimo Bitonci, dispôs que a municipalidade distribua um crucifixo que será afixado obrigatoriamente em cada escola e dependência governamental, noticiou Christian Action Network

“Tirem as mãos dos crucifixos ou vai ter problema”, disse o prefeito da cidade do santuário de Santo Antônio, quando uma decisão de um tribunal europeu – logo revogada – tentou banir as cruzes e os sinais católicos dos prédios públicos italianos.

Agora Massimo Bitonci se engajou numa “nova cruzada” pelos crucifixos em escolas e prédios públicos. E ao mesmo tempo interditou as orações maometanas neles.

Uma coisa puxa a outra, e as duas práticas religiosas não podiam coexistir, dada a militância dos islâmicos contra os cristãos e o respeito da dignidade do instrumento da Redenção que o Islã odeia especialmente.

“Agora, em todos os prédios e escolas haverá obrigatoriamente um belo crucifixo doado pela municipalidade. E ai de quem mexer neles”, escreveu o prefeito em sua conta de Facebook.

Acompanhando o anúncio, Bitonci postou uma foto em que ele aparece segurando um crucifixo junto a um grupo de pessoas. Em 2009, quando era senador, Bitonci promoveu a distribuição de crucifixos em Abano Terme, na mesma província de Pádua.

Ele também interditou as orações do Ramadã islâmico nos prédios públicos. O prefeito anterior havia autorizado que os maometanos se reunissem num ginásio.

Mas o prefeito acenou para o cancelamento da concessão, porque os “ginásios só devem ser usados para esportes e educação da juventude. A nova administração não mais autorizará esse tipo de atividades (orações muçulmanas) nos ginásios municipais” caso haja transgressões aos regulamentos municipais, como perturbação da paz pública ou problemas de segurança.


quarta-feira, 20 de agosto de 2014

A esquerda pode morrer, adverte premiê francês

Manuel Valls: o esquerdismo pode morrer abandonado pelo povo
Manuel Valls: o esquerdismo pode morrer abandonado pelo povo
“A esquerda pode morrer” – alertou, consternado, o primeiro-ministro francês Manuel Valls diante do conselho Nacional do Partido Socialista, hoje no poder.

Desde a Revolução Francesa, quando os deputados mais exaltados se sentavam no lado esquerdo da Assembleia, e os mais conservadores à direita, a constante foi o triunfo das esquerdas, excetuados alguns recuos táticos transitórios.

O premiê tocou o alarme geral diante da perspectiva de uma entrada da extrema-direita no segundo turno das eleições presidenciais de 2017, onde ela disputaria a Presidência com o centro-direita, segundo informou “Le Journal du Dimanche”

Mas, segundo ele, o problema é mais profundo, não se tratando apenas de um jogo entre partidos e candidatos. Pois o jogo pode voltar atrás e os candidatos, membros da mesma confraria de políticos, acabam se entendendo entre si para imprimir o mesmo rumo às coisas, uns mais velozmente, outros menos.

Para Valls, é a própria convicção republicana que está se esboroando na cabeça dos franceses, o que deixa os partidos na situação de um pneu girando no vazio.

Segundo ele, se até lá não for feita alguma coisa, a França poderá entrar numa época em que a direita moderada e a esquerda “podem desaparecer”.

Valls foi categórico: “sim, a esquerda pode morrer” e “não existe alternativa para a esquerda”, referindo-se à catástrofe de popularidade e ao fiasco das eleições municipais, e também às eleições europeias, onde a extrema-direita se consagrou como o maior partido da França.

Manifestação contra o "casamento" homossexual em Paris. Franceses pedem algo totalmente novo em relação às esquerdas.
Manifestação contra o "casamento" homossexual em Paris.
Franceses pedem algo totalmente novo em relação às esquerdas.
Manuel Valls acrescentou: “Nós percebemos bem que chegamos ao fim de alguma coisa, ao fim talvez de um ciclo histórico para nosso partido. A esquerda nunca foi tão débil na história da V Republica” (fundada em 1958).

“Temos de nos reinventar. Temos de explorar outros caminhos, sem tabus”. E explicou que pensava abaixar os impostos das famílias, especialmente as da classe média, proposta que soa como uma blasfêmia ou apostasia para o estatizante e confiscatório socialismo.

Mas na hora em que o barco naufraga, para os políticos vale tudo. “Eu já falei, os impostos estão pesados demais”, disse o premiê socialista.

E acrescentou outra “heresia” para a esquerda: “nós não poderemos nos engajar nessa via [de redução dos impostos] se não reduzirmos as despesas do governo”, ferindo a prática socialista de mais Estado, mais bolsas, mais impostos, mais dirigismo e ... mais descontentamento.

As soluções por ele apresentadas parecem cosméticas, mas desmoralizam as crenças totalitárias dos últimos fiéis socialistas.

Por sua vez, o jornal de Madri "ABC" comentou que o deperecimento das esquerdas não é um fenômeno exclusivamente francês, mas atinge toda Europa. Cfr: "El ocaso de la izquierda democrática".


As apetências profundas dos europeus rumam para algo totalmente novo que reate com as melhores tradições do país, trazendo frutos duradouros de ordem, segurança e sanidade moral.


quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Bilocação do Padre Pio para assistir
ao Cardeal Mindszenty no cárcere comunista

Bilocação do Padre Pio: mosaico na cripta do Santuário, San Giovanni Rotondo.
Bilocação do Padre Pio: mosaico na cripta do Santuário,
San Giovanni Rotondo.

O vaticanista Andrea Tornielli publicou no site Vatican Insider, um sério testemunho da bilocação do Santo Padre Pio ao cárcere da Hungria onde padecia o Cardeal Mindszenty.

O herói anticomunista húngaro foi adversário acérrimo da política de distensão do Vaticano com os governos comunistas, conhecida como “Ostpolitik”.

Eis um resumo do artigo de Tornielli:

Um novo elemento acaba de ser adicionado à coleção de episódios milagrosos que acompanharam a vida de São Pio de Pietrelcina.

Trata-se de um testemunho publicado em um livro apresentado no décimo aniversário da dedicação do novo santuário de San Giovanni Rotondo, onde está sepultado o corpo do capuchinho.

O testemunho diz respeito a uma bilocação que levou o Padre Pio à cela em Budapeste onde estava preso o cardeal József Mindszenty, Primaz da Hungria.

A bilocação é um fenômeno místico extraordinário que faz com que uma pessoa esteja em dois lugares ao mesmo tempo. O Padre Pio teve este dom, que poucos recebem. Testemunhas oculares descreveram e até dialogaram com ele simultaneamente em locais diversos.

O episódio já era conhecido e ficou imortalizado em um dos mosaicos da cripta do santuário dedicado ao Padre Pio. Mas o depoimento a seguir descreve detalhes nunca antes publicados.

O livro Padre Pio. La sua chiesa, i suoi luoghi, tra devozione storia e opere d’arte (Padre Pio: a sua igreja, os seus lugares, entre a devoção, história e arte, Edições Padre Pio de Pietrelcina) foi escrito por Stefano Campanella, diretor da Teleradio Padre Pio e autor de inúmeros ensaios sobre o santo.

Nele está o relato de Angelo Battisti, diretor da Casa Alívio do Sofrimento e datilógrafo da Secretaria de Estado do Vaticano. Battisti foi uma das testemunhas no processo de beatificação do santo religioso.

O Cardeal Mindszenty durante o processo iníquo que o condenou.
O Cardeal Mindszenty durante o processo iníquo que o condenou.
O Cardeal József Mindszenty, arcebispo de Esztergom, Primaz e Regente da Hungria, foi encarcerado pelas autoridades comunistas em dezembro de 1948 e condenado à prisão perpétua no ano seguinte.

Ele foi falsamente acusado de conspirar contra o governo socialista. Passou oito anos no cárcere e em prisão domiciliar até ser libertado durante a revolta popular de 1956.

Então se refugiou na delegação comercial dos EUA em Budapeste, até 1973, ano em que Paulo VI impôs sua saída e sua renúncia à arquidiocese.

Naqueles anos de prisão teria acontecido a bilocação, que levou o Padre Pio até a cela do cardeal.

Eis como Battisti descreveu a miraculosa cena:

“O capuchinho estigmatizado, enquanto se encontrava em San Giovanni Rotondo, foi até ele para levar-lhe o pão e o vinho destinados a se tornarem o corpo e o sangue de Cristo, isto é, a realidade do oitavo dia [Domingo de Páscoa].

“Nesse caso, a bilocação adquire ainda mais o significado da antecipação do oitavo dia, ou seja, da Ressurreição, quando o corpo é liberado dos limites do espaço e do tempo.

“Simbólico é também o número de registro do detento impresso em seu pijama de presidiário: 1956 é o ano da libertação do Cardeal.

“Como é sabido – conta Battisti –, o cardeal Mindszenty foi preso, colocado na cadeia e vigiado o tempo todo. Com o passar do tempo, crescia fortemente o seu desejo de poder celebrar a Santa Missa.

“Uma manhã, apresentou-se diante dele o Padre Pio, com tudo que ele precisava. O Cardeal celebra sua Missa e Padre Pio lhe serve [como acólito]; depois se falaram e, no final, Padre Pio desaparece com tudo que havia levado.

“Um padre vindo de Budapeste me falou confidencialmente sobre o fato, perguntando se eu poderia obter uma confirmação do Padre Pio. E eu disse a ele que se eu tivesse perguntado uma coisa dessas, Padre Pio teria me expulsado aos xingos”.

Santo Padre Pio de Pietrelcina, capuchino.
Santo Padre Pio de Pietrelcina, capuchino.
Mas, numa noite de março em 1965, no final de uma conversa, Battisti perguntou ao frade estigmatizado:

“Padre, o Cardeal Mindszenty reconheceu Padre Pio?”

— Depois de uma primeira reação de irritação, o santo de Gargano respondeu:

— “Que diabos, nós nos encontramos e conversamos, e você acha que não teria me reconhecido?”

Confirmando assim a bilocação ao cárcere, que teria acontecido alguns anos antes.

“Então — acrescenta Battisti — ele tornou-se triste e acrescentou: ‘O diabo é feio, mas o haviam deixado mais feio que o diabo’”, se referindo aos maus tratos que sofria.

O que demonstra que o Padre o havia socorrido desde o início de sua prisão, porque não se pode conceber, humanamente falando, como o Cardeal foi capaz de resistir a todo o sofrimento a que foi submetido e que ele descreve em suas memórias.

O Padre Pio então concluiu: “Lembre-se de orar por esse grande confessor da fé, que tanto sofreu pela Igreja”.