quinta-feira, 17 de maio de 2012

2011: recorde de conflagrações desde a II Guerra Mundial


Desde o fim da II Guerra Mundial nunca houve tanta violência quanto em 2011. A constatação é de um estudo preparado pelo Instituto para a Investigação dos Conflitos de Heidelberg, Alemanha, informou a agência oficial DPA.

Em 2011 houve 20 guerras no mundo, superando o funesto recorde de 1993, quando os investigadores alemães contabilizaram dezesseis.

Além do mais, em 2011 houve outros 38 conflitos com uso massivo da violência e de graves consequências.

A maioria foram guerras e conflitos internos, sucedidos principalmente no Meio Oriente e na África. “Nessas regiões vemos um alto potencial de novas escaladas de violência”, sublinhou Christoph Trinn, presidente do Instituto.


O ano de 2011 foi marcado por um incremento de guerras e conflitos em comparação com o ano anterior, quando foram contadas seis guerras.

Aos conflitos de 2010 acrescentaram-se três guerras novas ligadas à “Primavera Árabe” – cada vez mais chamada de “Inverno Árabe – no Iêmen, na Síria e na Líbia. Também houve conflitos étnico-religiosos contra os cristãos na Nigéria, desencadeados por extremistas muçulmanos.

Os investigadores germanos incluíram a guerra no Sudão e o conflito do Estado mexicano com os carteis da droga. Este, embora de natureza policial, ganhou dimensões de uma guerra civil.

Cabe perguntar se os conflitos da polícia com os grupos criminosos que controlam a droga nos morros de Rio de Janeiro e nos bairros periféricos de São Paulo não poderiam ser incluídos na mesma lista.

Nossa Senhora advertiu em Fátima que não haveria paz enquanto o mundo não fizesse penitência e se convertesse.



Um comentário:

  1. José Juarez Batista Leite20 de maio de 2012 03:01

    Ignorância,muito ódio,soberba exacerbada,prepotência,arrogância eis alguns dos principais motivos deflagadores das guerras,além da falta de humildade e do temor de Deus.Muitas delas poderiam ser evitadas se o conselho de Nossa Senhora de oração e penitência fosse seguido.Corações e mentes agitados e em constante tensão ficam na expectativa de um momento para poder extravasar.As guerras não são provocadas pela coletividade,apesar de tomar essa forma,mas na sua maioria,são pessoas influentes que, individualmente, chamam para si o direito de mobilizar outros para a defesa e manutenção de sua causa particular.Quando as fundamentações são desumanas , inconsistentes, supersticiosas e superficiais as consequências são as mais desastrosas possíveis.Que Deus tenha misericórdia de todos os povos e nações em frequentes conflitos e desperte-os para a Paz de Cristo, que não é segundo o modelo que o mundo dá.

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.