quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Vertiginosa queda dos jesuítas em número e reputação

Jesuítas idosos. Segundo o Vaticano, entre 2005 e 2015,
a Ordem perdeu 3.110 sacerdotes e irmãos.
De 1965 a 2015, a Companhia de Jesus caiu de 36.038 para 16.740.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




No momento em que a Companhia de Jesus tem um Papa pertencente à gloriosa ordem fundada por Santo Inácio, sua crise e decadência internas atingem patamares inauditos em matéria doutrinária e em número de membros, observou a revista americana “National Catholic Register”.

Nos EUA, Canadá e Haiti só foram ordenados 20 novos jesuítas em 2015. Um dirigente da Ordem reconheceu ao “National Catholic Register” que “as tendências de novas vocações apontam para uma estabilização numérica no horizonte”.

Entretanto, a comemoração pelas 20 ordenações do último ano parece exagerada, pois no mesmo período faleceram 65 padres da Ordem.

Em 2013, Matthew Archbold, da “Cardinal Newman Society”, apontou outros sinais da decadência nas ordenações de novos jesuítas: os ex-jesuítas eram mais numerosos do que os jesuítas em atividade nos EUA. Estatísticas de 2011 elaboradas pelo Georgetown University’s Center for Applied Research in the Apostolate (CARA) apoiaram a assertiva.

Estatísticas mais recentes da Companhia e do Vaticano fornecem números assustadores. O número vem caindo nos últimos 50 anos, propulsionado pelos efeitos do período “pós-conciliar”.

Em 1982 entraram 102 novos candidatos. Em 2010, apenas 45.

Entre 2008-2013, a Companhia contabilizou 445 religiosos mortos nos EUA, uma média de 89 por ano.

Somando e subtraindo, o “National Catholic Register” conclui que os jesuítas nos EUA estão em queda livre. Pelos números do CARA, perderam mais da metade em apenas 25 anos, precipitando-se de 4.823 em 1988 para 2.395 em 2013.



A situação no mundo em geral não é melhor, salvas exceções na Ásia e na África.

O estudo do CARA apontou um declínio de 33% na América Latina e de 13% no Extremo Oriente no período 1988-2013.

Nos 425 anos anteriores a 1965, a Companhia não parou de crescer, tendo atingido naquele ano seu maior número: 36.038 sacerdotes e irmãos, segundo o Annuario Pontificio do Vaticano.

São Francisco Xavier convertendo pagãos nos tempos gloriosos da ordem inaciana.
São Francisco Xavier convertendo pagãos nos tempos gloriosos
em que a a ordem inaciana se expandia pelo mundo.
Em 2015 a Ordem caiu para 16.740 membros, uma queda vertiginosa que prossegue: mais de 50% em apenas 50 anos “pós-conciliares”.

As saídas foram especialmente intensas no fim da década de 1960 e de 1970, na aplicação imediata do Vaticano II, quando muitos sacerdotes abandonaram seus votos.

A mais recente década analisada (2005-2015) mostrou a continuidade da acentuada percentagem de desistências: 15,7%.

Segundo os relatórios do Vaticano, entre 2005 e 2015 os jesuítas perderam 3.110 sacerdotes e irmãos, a metade da calamitosa debacle da década 1965-1975.

Essas perdas não são fenômenos localizados ou esporádicos, diz o “National Catholic Register”. O declínio foi constante durante todos os anos desde 1965, com exceção de 1984 a 1986.

Para a revista americana, o problema mais preocupante não radica nos números. O mais grave é a perda de reputação teológica e pastoral da Companhia no seio da Igreja.

De fato, há um número excepcional de jesuítas envolvidos na promoção da confusão moral e de controvérsias eclesiais, intelectuais e sociais.

Neste período de decadência, a boa fama dos jesuítas como “Infantaria de Cristo” foi sendo continuadamente abandonada pelas suas universidades.

Estas perderam sua identidade católica e sua fidelidade à tradição da Igreja e da gloriosa Ordem de Santo Inácio.



5 comentários:

  1. Fico pensando se o Papa Clemente XIV não tinha mesmo razão em ter extinguido a Ordem do Jesuítas (em 21 de julho de 1773), e se Pio VII não errou em ter restaurado a Ordem (Em 1814). Que Deus me perdoe se eu estiver errado!

    ResponderExcluir
  2. Os jesuítas são apenas uma dentre as tantas Ordens religiosas católicas que estão em decadência. Mas não deixa de causar admiração a sua crise institucional, já é uma Ordem de elite e altamente capacitada, tendo como carisma a defesa do Papa e da fé católica. Aliás, por isso mesmo, aumenta ainda mais a admiração pelo seu declínio.

    ResponderExcluir
  3. Estamos assistindo ao cumprimento das profecias de Nossa Senhora de La Salete:

    “No ano de 1864, Lúcifer e um grande número de demônios serão soltos do inferno. Eles abolirão a fé pouco a pouco, até nas pessoas consagradas a Deus. Eles as cegarão de tal maneira que, salvo uma graça particular, adquirirão o espírito desses maus anjos. Várias casas religiosas perderão inteiramente a fé e perderão muitas almas."

    “No ano 1865 ver-se-á a abominação nos lugares santos. Nos conventos as flores da Igreja serão apodrecidas, e o demônio tornar-se-á como que o rei dos corações."

    “Que os dirigentes das comunidades religiosas estejam atentos em relação às pessoas que devem receber, porque o demônio usará toda sua malícia para introduzir nas ordens religiosas pessoas entregues ao pecado, pois as desordens e o amor aos prazeres carnais estarão espalhados por toda a Terra."

    ResponderExcluir
  4. Me digam, o que ficou intacto após o Vaticano II? Só mesmo a Basílica!

    ResponderExcluir
  5. É bem triste essa realidade. Agora a pouco em Fortaleza CE, a igreja Cristo Rei, tendo como pároco, um Jesuíta, faz missas para crianças usando o altar com cenários de circo, fantoches etc... Alegando que é pastoral de criança, usando erroneamente o livro de Mateus 19:14 Deixai vir a mim os pequeninos... Quer dizer ainda deturpam as passagens bíblicas.

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.