quarta-feira, 13 de abril de 2016

Redes sociais estressam e tornam vida menos satisfatória

The Facebook experiment, capa do estudo.
The Facebook experiment, capa do estudo.
Luis Dufaur
Escritor, jornalista,
conferencista de
política internacional,
sócio do IPCO,
webmaster de
diversos blogs




Sem redes sociais se vive mais satisfatoriamente defende um estudo do Happiness Research Institute, da Dinamarca.

O trabalho se intitula “The Facebook Experiment” e pode ser descarregado gratuitamente em PDF.

A equipe de investigadores responsáveis reuniram os testemunhos de 1.095 usuários de Facebook de entre 16 e 76 anos. 80% deles admite consultar a rede social pelo menos media hora diária. O estudo está focado em Facebook mas os resultados são válidos também para as outras redes sociais.

Os 1.096 voluntários aceitaram se abstiver de Facebook durante uma semana. No fim uma metade disse que seguiria usando a rede social do mesmo modo que antes. Mas a outra metade disse que nunca mais entraria.

A grande diferencia foi detectada no fato que aqueles que se desconectaram passaram a se sentir menos estressados, menos isolados, menos preocupados, e mais sociáveis.

Muitos dos que aceitaram se desligar durante uma semana, contaram que nesses sete dias tinham falado mais com sua família e seus amigos e que tinham aproveitado mais e melhor o tempo.



Redes sociais estressam diz estudo de instituto dinamarquês
Redes sociais estressam diz estudo de instituto dinamarquês
Para os autores, Facebook e plataformas similares só refletem a parte positiva da vida. E explicam: “funcionam como um canal incessante de boas notícias, um fluxo constante das vidas editadas que distorce nossa percepção da realidade”.

“Facebook é uma ficção construída com elementos da vida quotidiana, é uma realidade distorcida porque sublinha o positivo e esconde aquilo que é triste ou desagradável. Fornece a sensação de que cada um faz de sim um espetáculo”. E isso é um engano fonte de frustrações.

A investigação do Happiness Research Institute aponta que deixar de lado Facebook, reduz o estresse, esse esgotamento psíquico que aparece quando a carga de estímulos supera a capacidade de resposta do indivíduo.

“Os usuários estressados de Facebook, deveriam ter estado num regime de superestimulação gerado pela rede social e não percebiam que tanta informação os ‘carregava’ com pesos psicológicos. E essa ‘carga’ se traduz em tensão, ansiedade, tristeza e melancolia. Se compreende que se tenham sentido mais relaxados quando tiraram esse peso de em cima”, explicou ao jornal “Clarin” de Buenos Aires, um médico chefe do Serviço de Medicina do Estresse num hospital da capital argentina.


11 comentários:

  1. Prezado Luís, tenho ouvido rumores de que o acesso popular à internet no futuro (talvez próximo) acabará. No Brasil já começaram a mudar as leis que regulam o acesso à internet. Veja a questão da internet limitada por franquia de banda larga. Algumas pessoas são até mais radicais, dizendo que a internet por inteira no mundo todo será derrubada (deixará de existir). O senhor tem alguma opinião sobre o assunto. Ao meu ver se trata de um assunto de grande importância do qual pouco se fala.

    ResponderExcluir
  2. Uma opinião interessante sobre o futuro da internet no Brasil, embora não concorde com a justificativa que o comentarista faz das mudanças nos planos de internet:
    https://youtu.be/wTZFgXPUDGI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma explicação melhor articulada sobre o que poderá acontecer com a internet no Brasil:
      https://youtu.be/EAUODnremZo

      Excluir
  3. As redes sociais, como fenômeno social, têm se mostrado como uma realidade obscura, que, de fato, merecem ser mais estudas e compreendidas. Que mais pesquisas e respostas possam colocar luzes sobre essa realidade que tem se mostrado obscura e nociva.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um tempo atrás foi descoberto que o Facebook realizava experimentos sociais nos seus usuários. Quem garante que hoje em dia não realizam mais experimentos desse tipo. Veja a notícia:
      http://portuguese.ruvr.ru/news/2014_06_30/Facebook-pede-desculpa-aos-usuarios-por-terem-sido-submetidos-a-experimento-6729/
      Agora, é impressionante que mesmo depois de vários fatos negativos sobre o Facebook terem sido descobertos, essa rede social ainda assim continua em alta, a despeito de algumas previsões em contrário que tinham sido feitas sobre ela:
      http://olhardigital.uol.com.br/video/facebook-vai-acabar-no-cemiterio-da-web-aposta-jack-london/40830

      Excluir
    2. Veja essa notícia!
      ALERTA: FACEBOOK ESTÁ MONITORANDO SUAS EMOÇÕES USANDO A NOVA "LIKE" EMOJIS
      http://www.libertar.in/2016/05/alerta-facebook-esta-monitorando-suas.html

      Excluir
  4. Gostaria de partilhar uma notícia sobre o viés esquerdista do Facebook:
    Propagande de gauche : selon Gizmodo, Facebook censure certains contenus
    (Propaganda de esquerda: segundo Gizmodo, o Facebook censura certos conteúdos)
    http://reinformation.tv/facebook-gizmodo-censure-propagande-gauche-contenus-mille-54864-2/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saiu em português uma notícia sobre isso.
      http://www.acidigital.com/noticias/facebook-censura-as-publicacoes-catolicas-em-suas-tendencias-21699/

      Excluir
  5. Mais uma notícia preocupante sobre o Facebook para aumentar a lista!
    ESPECIALISTA ADVERTE: FACEBOOK PODE ESTAR TE ESCUTANDO ATRAVÉS DO SEU TELEFONE
    http://www.libertar.in/2016/05/especialista-adverte-facebook-pode-esta.html

    ResponderExcluir
  6. Ao meu ver, uma alternativa ao Facebook é o Google Plus. Mas, infelizmente, os brasileiros estão muito bitolados no Facebook e não gostam de experimentar outras redes sociais.

    ResponderExcluir
  7. Às vezes o Facebook se torna um lugar tão degradado!
    PM do Rio se mata ao vivo em rede social
    https://br.noticias.yahoo.com/3-pm-rio-se-mata-162119327.html

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.