quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Obama corteja Coréia do Norte que é o pior perseguidor dos cristãos segundo organizações dos direitos humanos

Enquanto a Coréia do Norte acumula provocações missilísticas e atômicas contra o Ocidente e seus aliados asiáticos, no plano interno o governo comunista acirra a perseguição contra os cristãos. Estes são uma minoria em extinção que enfrenta corajosamente o martírio.

As execuções estão aumentando, informaram organizações de defesa dos direitos humanos da Coreia do Sul referidas pela agência Zenit.

Alguns desses martírios foram praticados de público, mas a diplomacia do presidente Obama finge não perceber e faz concessões estonteantes ao líder norte-coreano Kim Jong-Il, fanaticamente socialista e apoiado pela China e pela Rússia.

A BBC informou que Ri Hyon-ok, 33, mãe de três filhos foi acusada de distribuir bíblias, e enviada com marido e filhos a um campo de concentração.

Por fim foi supliciada na cidade de Ryongchon, noroeste do país, segundo relatório da Comissão Investigadora de Crimes contra a Humanidade, publicado na Coréia do Sul.

Os relatórios denunciando a perseguição anticristã na Coréia do Norte falam cada vez com maior freqüência das violências do regime comunista.

A Coréia do Norte foi qualificada como o pior perseguidor dos cristãos durante sete anos consecutivos pela organização Open Doors Watch.

É um título difícil de conseguir levando em consideração as violências de massa contra o catolicismo na Índia e no Sudão, no mundo islâmico em geral e a ofensiva laicista no Ocidente.

Recentemente, o ex-presidente Bill Clinton fez uma visita à Coréia do Norte, altamente vantajosa para esta última.

O representante americano concedeu tudo o que o ditador exigia ‒ sendo por isto muito criticado nos EUA ‒ a troca da liberdade de duas reféns americanas.

Os norte-coreanos são obrigados a cultuar a personalidade do ditador Kim Jong-Il e seu defunto pai Kim Il-Sung. Qualquer outro culto ou religião, sobre tudo a cristã está proibido.

Os cristãos devem esconder sua fé. Se são identificados ou pegos, por exemplo, com uma Bíblia, são enviados a campos de trabalho forçado ou executados. Nesses campos, acredita-se que há dezenas de milhares de cristãos, segundo Open Doors.

Há igrejas abertas na capital Pyongyang “para inglês ver”.

Suspeita-se que elas só sejam abertas por ocasião das visitas de estrangeiros. Em qualquer hipótese, não são para os cidadãos norte-coreanos.

A Comissão Investigadora de Crimes contra a Humanidade é uma coalizão de 50 grupos que pedem o indiciamento do líder norte-coreano Kim Jong-Il.

A pesar da perseguição, estima-se que por volta de trinta mil norte-coreanos praticam o cristianismo no segredo dos seus lares.

Desejaria receber atualizações gratis e instantâneas do blog 'Luz de Cristo x trevas da irracionalidade' no meu E-mail

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.