sexta-feira, 27 de julho de 2007

Justiça libera caníbal alemão


Armin Meiwes, de 42 anos, confessou ante o tribunal de Kassel, Alemanha, ter praticado canibalismo, com requintes de perversidade. Ele recrutava vítimas pela Internet, oferecia um guia prático para “cortar a carcaça humana para consumo humano” e sugeria receitas de molhos, incluindo uísque, molho inglês e alho picado.
Meiwes pôs o macabro anúncio numa sala de bate-papo na Internet sobre canibalismo e atraiu o engenheiro Bernd-Jurgen Brandes, de Berlim. Este assinou um contrato dando pleno consentimento ao ritual macabro, o qual foi filmado. As cenas mostram Meiwes cortando os órgãos sexuais do engenheiro, usando anestesia local, e depois comendo-os junto com a própria vítima. Por fim o canibal esfaqueou-lhe o pescoço e retalhou o cadáver, guardando os pedaços dele na geladeira e devorando-os depois.
A Justiça alemã acaba de o declarar livre, após breve passagem pela prisão.
Os estudantes revolucionários da Sorbonne cunharam, em 1968, o dito “é proibido proibir”. E a justiça alternativa age nesse sentido. No fim dessa senda, já se pode ouvir a gargalhada do inferno.

Um comentário:

  1. O Livro de Apocalipse é uma visão profética sobre o Julgamento da humanidade. Um julgamento divino da sociedade. Haverá um tempo onde a lei dos homens será vasculhada de ponta a ponta, assim como os desígnios políticos, econômicos e religiosos. A religião e tudo que ela representa também passará pelo crivo da profecia. Sempre perguntava, se todas as tragédias da civilização, todas as mortes, bizarrices, guerras, traições, torturas e avareza humana de todas as civilizações já não configuravam por si só um "Apocalipse", se a dor das eras passadas já não era o suficiente como "corretivo", como disciplinador desta filha rebelde. Infelizmente, se os povos, gentes, nações, tribos e raças tivesse se arrependido de seus impressionantes, terríveis, macabros, cruéis e injustificados pecados...não haveria um Apocalipse a ser testemunhado ou a ser vivido, não haveria uma besta, um falso profeta e nem o anticristo. Não haveria uma guerra com a soma de cavaleiros chegando a 200 milhões e nem homens clamando pela morte que simplesmente se recusará a oferecer o consolo de sua mão ossuda ou de sua velha foice quebrada. Porém sem arrependimento, sem choro, sem dor do coração, sem repugnância por coisas vis...sem a anuencia de um coração de criança...e a alma de gente amorosa...certamente cedo virá.

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário! Escreva sempre. Este blog se reserva o direito de moderação dos comentários de acordo com sua idoneidade e teor. Este blog não faz seus os comentários e opiniões dos comentaristas. Não serão publicados comentários que contenham linguagem vulgar ou desrespeitosa.